Descubra como o sono pode influenciar na imunidade

Conseguir ter uma boa noite de sono é fundamental para começar o dia relaxado, com bastante disposição e cheio de saúde. Entenda mais sobre o assunto!

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 22/11/2016 às 11:52
Atualizado às 12:04

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Sabe quando uma pessoa vai deitar e fica rolando, sem conseguir dormir? Ou quando trabalha demais, deixando isso afetar o sono? Essas situações, quando ocorrem de maneira rotineira, podem causar exaustão, mau humor, estresse e até a queda da imunidade. Por isso, conseguir ter uma boa noite de sono é fundamental para começar o dia relaxado e bem-disposto e cheio de saúde.

mulher-dormindo-sono-cama-sorrindo

Foto: Shutterstock

A ciência não mente

Uma prova da importância de dormir bem é o estudo “Sono e imunidade: evidências em voluntários saudáveis e em modelo animal de transplante de pele”, realizado por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em parceria com o Instituto do Sono.

Em uma primeira fase do projeto, os pesquisadores dividiram voluntários em três grupos monitorados: no primeiro, os participantes dormiram normalmente; no segundo, ficaram privados do sono por 48 horas (como acontece com quem trabalha em plantão noturno); no terceiro, houve por quatro dias seguidos privação seletiva, com a interrupção do sono na sua fase REM (aquela em que ocorrem os sonhos).

mulher-deitada-dormindo-cama-sono

Foto: iStock.com/Getty Images

Como era de se esperar, o primeiro grupo não teve alterações no seu perfil imunológico. Por outro lado, aqueles que foram totalmente privados de dormir mostraram uma elevação no número de leucócitos e linfócitos, células que reagem às infecções – os índices deles só vieram se normalizar de novo após três noites de recuperação. Por último, o grupo privado do sono REM mostrou deficiência da imunoglobulina A, presente na secreção de mucosas, que atuam como defesa do corpo contra agentes externos. A segunda fase do estudo, que envolveu enxertos de pele feitos em ratos sob privação de sono, também confirmou a piora na resposta imunológica do organismo.

Texto Paula Santana

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.