ESTILO DE VIDA

Sonhos: por que existem? Como eles acontecem?

Você sabe dizer por que sonha enquanto dorme? Ou por que às vezes tem pesadelos? Conhece o processo? Confira mais detalhes sobre o assunto.

None
Foto Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 14/09/2016 às 07:00
Atualizado às 20:57

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Sonhar com cobra, que está caindo de um penhasco ou que está voando. Quem nunca teve um desses sonhos, que atire a primeira pedra! Você pode até pensar que não, mas sonha todas as noites, como afirma Ronaldo Cardim, terapeuta corporal e psicoterapeuta holístico. “Todos nós sonhamos. Temos vários sonhos, todas as noites, quer lembremos ou não”. Aliás, o profissional explica que nem sempre recordamos de todos os nossos sonhos, mas interpretá-los da maneira correta é muito importante para poder entender alguns sentimentos quem não se manifestam em nível consciente. Veja mais detalhes sobre o assunto!

Menina, dormindo, caderno, revisão

FOTO: Shutterstock

Jung já dizia…

Você já ouviu falar em Carl Gustav Jung? Ele foi um médico psiquiatra e psicólogo suíço que fundou a psicologia analítica, ramo de conhecimento e prática da psicologia que investiga sonhos, desenhos e outros materiais como vias de expressão do inconsciente. “Jung abordou os sonhos como realidades vivas que precisam ser experimentadas e observadas com cuidado para serem compreendidas, através da análise da forma e conteúdo dos símbolos oníricos levando em conta as atitudes, a experiência e a formação do sonhador”, diz Ronaldo Cardim.

Mas, afinal, por que sonhamos?

Ronaldo explica que existem dois tipos de sonhos. Um é o sonho psicológico, que se dá nos estágios de sonos mais leves. “Eles são formas que a mente encontra de ajustar ou adaptar alguma situação do seu dia a dia”, diz o profissional. E Célia Cortez, psiquiatra e neurocientista completa: “Sonhamos, porque, durante a fase do sono REM, quando normalmente ocorrem os sonhos, o cérebro está organizando os conteúdos armazenados na memória, ao mesmo tempo em que acrescenta experiências vividas recentemente.

Visões do futuro?

Há quem afirme que o seu sonho virou realidade, como uma espécie de premonição. E essa pessoa não está totalmente errada. Segundo Célia, o cérebro é capaz de fazer previsões, com base nas informações armazenadas. “Fazemos isto normalmente durante o dia. Por que não faríamos durante a noite?”, indaga a profissional. Durante o sono, o cérebro trabalha intensamente e inicia o processo de organização dos dados que captou durante a vigília. “ Portanto, as previsões são baseadas nos dados armazenados e o cérebro ‘sabe calcular probabilidades’, ou seja, naturalmente ele confronta os dados que dispõe e determina o resultado mais provável para a situação analisada.

mulher dentro de uma caixa num fundo preto

FOTO: iStock

Sonhos x Pesadelos

Pesadelos são aqueles sonhos ruins, que envolvem emoções fortes e negativas, deixando impressões, depois que a pessoa é acordada. Muitas vezes, o indivíduo é acordado por algum movimento corporal ou sensação muito forte, resultante da intensidade emocional do sonho. Mas o que significa ter mais pesadelos que sonhos? “Pode significar muita coisa, mas, com certeza, ela tem um ‘distúrbio do sono’ e precisa de tratamento. Dependendo dos sintomas que acompanham os pesadelos ou sonhos, a pessoa deve procurar um psicólogo ou um psiquiatra, porque depressão, por exemplo, pode causar pesadelos e outros tipos de distúrbios”, aconselha Célia.

LEIA TAMBÉM

Consultoria Ronaldo Cardim, terapeuta corporal e psicoterapeuta holístico; Célia Cortez, psiquiatra e neurocientista;