ESTILO DE VIDA

Sol pode causar envelhecimento da pele e manchas pelo corpo

O sol pode causar envelhecimento da pele e outras consequências desagradáveis. Por isso, o ideal é apostar na fotoproteção e proteger a saúde!

None
Adotar medidas para se proteger do sol é essencial para garantir qualidade de vida. FOTO: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 14/02/2018 às 13:17
Atualizado às 16:55

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Você já ouviu falar em marcadores do processo de envelhecimento biológico e molecular? De uma forma simples, eles são fatores que levam à desnaturação celular e aceleram o envelhecimento cronológico com aparecimento de manchas, rugas e flacidez. E, entre os principais, está o fator solar, uma vez que o sol pode causar envelhecimento da pele quando associado a não utilização de fotoprotetores.

De acordo com a dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, Claudia Marçal, a exposição solar sem a questão da fotoproteção é o mais importante agressor, que leva a um dano cumulativo. “Inclusive com a formação de dímeros de pirimidina, com mudanças nas bases do DNA que provocam reações de mutação celular, com consequente fotoenvelhecimento precoce, inflamação e cancerização’, explica.

A exposição contínua ao sol pode causar envelhecimento da pele.

A exposição contínua ao sol pode causar envelhecimento da pele. FOTO: Reprodução

Antes da vermelhidão

Conforme explica a profissional, esses danos acontecem antes mesmo da pele ficar vermelha. “Na fase pré-eritematosa, ou seja, antes da vermelhidão, nós temos danos significativos e que vão alterar de uma maneira praticamente irreversível o DNA dessas células. E esse efeito cumulativo, esse dano irreversível, vai sendo cada vez mais potencializado pelas múltiplas exposições ao sol, onde a pele não está devidamente protegida”, conta.

Além de o fato de que o sol pode causar envelhecimento da pele, existe outro risco da exposição solar contínua: perder a defesa imunológica feita pelas células de Langerhans. “Quando isso acontece, nós aumentamos a chance de cancerização da nossa pele. Ou seja, o campo de cancerização se torna muito maior e a predisposição aumenta a cada nova exposição”, afirma Claudia.

Consultoria Claudia Marçal, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia

LEIA TAMBÉM: