Conheça os sintomas do burnout e como prevenir a síndrome

Um dos mais altos níveis de estresse, o burnout provoca esgotamento físico e mental. Conheça os principais sintomas e como preveni-los

None
Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 05/10/2016 às 07:30
Atualizado às 11:41

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A Síndrome de Burnout pode ser definida como um estado de esgotamento físico e mental em consequência de fatores ligados ao trabalho. A expressão inglesa “to burn out” significa “queimar-se, consumir-se por completo” e seus sintomas podem ser físicos, comportamentais e psíquicos. Veja os sinais mais comuns do burnout.

Desanimada e triste no trabalho? Veja a solução para melhorar seu rendimento

FOTO: Shutterstock

  • Fadiga, apatia e desânimo constantes, mesmo quando se está de folga ou em férias;
  • Irritabilidade, falta de concentração e baixo rendimento no trabalho;
  • Baixa autoestima, insônia, palpitações, dores de cabeça e desordens gastrointestinais;
  • Comportamento agressivo com os colegas de trabalho;
  • Relacionamento cada vez mais distante com amigos e familiares;
  • Uso de medicamentos ou bebidas alcoólicas para relaxar;
  • Sensação de estar sobrecarregada de trabalho o tempo todo;
  • Vida sexual insatisfatória;
  • Falta de perspectivas em relação ao futuro e sensação de que o trabalho não é recompensado como deveria;

Prevenção

O primeiro passo para se curar do burnout é reconhecer que sofre com o problema e buscar tratamento com um psicólogo, psiquiatra ou assistente social. Mas, tal como acontece com outras modalidades de estresse, o ideal é prevenir-se e evitar que o problema atinja o nível que exija tratamento. Veja algumas atitudes que ajudam a evitá-lo:

  • Procure estreitar os laços familiares e de amizades fora do trabalho;
  • Pratique atividades físicas ou um esporte que lhe dê prazer;
  • Se possível, faça algum trabalho voluntário;
  • Se possui crença religiosa, dedique um pouco mais de tempo à sua religião;
  • Faça alguma terapia que proporcione relaxamento, como yoga ou tai chichuan, por exemplo;
  • Se a insatisfação com a profissão é muito grande, atualize o currículo e, se possível, arrisque uma mudança para alguma área que realmente goste;
  • Busque o autoconhecimento e respeite seus limites físicos e mentais;
  • Evite ao máximo levar trabalho para casa, especialmente nos finais de semana, que devem ser dias de descanso total;
  • Cuide da alimentação, evitando alimentos gordurosos e industrializados, bem como excessos, principalmente de bebidas alcoólicas;
  • Sempre que possível, dê uma pausa no trabalho, nem que seja para tomar um copo de água apenas e aproveite para fazer alongamentos, respirar fundo e dar uma relaxada de leve.

LEIA TAMBÉM

Texto e entrevistas: David Cintra – Edição: Augusto Biason/Colaborador Fontes: artigo Burnout: um desafio à saúde do trabalhador, Flávia Pietá Paulo da Silva, publicado em PSI – Revista de Psicologia Social e Institucional, vol. 2, nº 1, jun/2000; International Stress Management Association do Brasil (Isma-BR).

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.