Tudo sobre sífilis: causas, sintomas e tratamento

Também chamada de lues, a sífilis infecta cerca de 900 mil brasileiros por ano. Conheça as causas, sintomas e tratamento da doença

None
FOTO: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 30/08/2016 às 08:30
Atualizado às 15:20

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a sífilis infecta 937 mil brasileiros de idade sexualmente ativa por ano.

Causada pela bactéria Treponema pallidum, a doença sexualmente transmissível (DST) também conhecida como lues pode levar à “cegueira, paralisia, doença cerebral e problemas cardíacos” e até a morte em sua fase mais grave, segundo o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde.

Tudo sobre sífilis: causas, sintomas e tratamento

FOTO: Shutterstock

Contágio

Como toda DST, a sífilis pode ser transmitida por meio da relação sexual sem proteção. Além disso, o contágio pode se dar pelo “contato direto com lesões abertas, transfusão de sangue e por via placentária, da gestante para o feto, durante a gravidez“, explica o ginecologista e obstetra Odair Albano.

Por isso, é preciso usar preservativo além de garantir que as seringas, agulhas e demais objetos usados na transfusão de sangue nunca tenham sido usados.

Sintomas

A doença pode apresentar três fases:

  1. Na primária, que pode ocorrer cerca de três semanas após o contágio, surgem feridas na região genital e nas virilhas que podem desparecer mesmo sem tratamento.
  2. Na fase seguinte, a secundária que ocorre de seis e oito semanas após o contágio, surgem lesões de pele, avermelhadas nas palmas da mão e plantas do pés, infectantes, que desaparecem espontaneamente“, explica o ginecologista.
  3. Na terceira, a doença pode gerar uma série de complicações que atingem vários órgãos do corpo e podem, inclusive, levar à morte.

MAIS NOTÍCIAS SOBRE SAÚDE NO PORTAL ALTO ASTRAL!

Tratamento

O diagnóstico da doença se dá por um exame de sangue, mas só acusa a doença cerca de 30 dias após o contágio.

Uma vez detectado, o tratamento é realizado com a penicilina e, no caso de alérgicos, com antibióticos alternativos. “A dose do medicamento é variável, na dependência da gravidade. As lesões desaparecem após alguns dias, mas a cura só pode ser confirmada pelo exame de sangue, realizado por até um ano”, afirma o profissional.

Tudo sobre sífilis: causas, sintomas e tratamento

FOTO: Shutterstock

Sífilis congênita

A sífilis congênita é quando a doença é transmitida da mãe para o filho durante a gestação.

O tratamento da gestante pode impedir a evolução da doença e reduzir o risco de transmissão para o bebê”, recomenda o ginecologista.

Mas alerta que sem ele, a sífilis pode causar “aborto espontâneo, natimorto, bebês de baixo peso, outras doenças e malformações”.

LEIA TAMBÉM

Texto: Melissa Marques – Edição: Loyce Policastro/Colaboradora

Consultoria: Odair Albano, ginecologista e obstetra

ASSINE NOSSA NEWSLETTER