Saúde do bebê: veja 7 situações que costumam tirar o sono das mamães e saiba como evitar transtornos

Elencamos sete situações típicas que costumam tirar o sono das mamães e mostramos como evitar transtornos com a saúde do bebê. Confira!

None
Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 21/06/2016 às 16:10
Atualizado às 13:04

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Definitivamente, bebês não vêm com manual de instrução! Para piorar, nem sempre você vai ter uma mãe, sogra ou tia por perto para ajudar a resolver os problemas que surgem no meio do caminho.

Uma boa forma de não ser pega de surpresa é se prevenir. Sendo assim, separamos sete situações capazes de deixar qualquer mãe de cabelo em pé: viagem, animais de estimação, visita, engasgo, queda, higiene e friagem.

Em cada uma delas, a pediatra Ana Cláudia dos Santos, do Hospital e Maternidade Neomater, de São Bernardo do Campo (SP), ensina direitinho como agir. Leia com atenção e tome nota!

Saúde do bebê: veja 7 situações que costumam tirar o sono das mamães e saiba como evitar transtornos

Shutterstock

Kit viagem

Seja de ônibus, carro ou avião, a mamãe deve tomar diversas medidas antes de embarcar com o seu bebê rumo ao tão merecido descanso.

Na hora de fazer as malas, não se esqueça de levar a carteirinha de vacinação, o telefone do pediatra e a carteirinha do convênio médico (se tiver). A certidão de nascimento também é fundamental se o meio de transporte for coletivo: sem ela, o bebê não pode embarcar.

Antes da viagem, peça para o pediatra indicar um antitérmico, um antialérgico e um antiemético (para vômitos). Acredite: esses três podem contornar possíveis imprevistos na saúde do pequeno.

Se o destino for a praia, termômetro, protetor solar e repelente próprios para bebês com mais de seis meses são indicados. “Durante a viagem deve-se fazer várias paradas para o bebê não se cansar e ficar enjoado, principalmente em locais com serras”, recomenda a pediatra Ana Cláudia dos Santos. “Caso a viagem seja de avião, o bebê deve estar mamando na decolagem e no pouso, para não sentir a diferença de pressão e com isso não afetar o ouvido”, acrescenta a médica.

Outro cuidado que deve ser tomado no caso de bebês que já consomem sucos ou papinhas é referente à água do local. Ofereça para o pequeno somente água mineral engarrafada, que é menos vulnerável a possíveis contaminações.

Na bolsa da mamãe

Uma mãe prevenida vale por duas. Conheça os itens que não podem faltar na sua bolsa quando for passear:

  • 2 ou 3 trocas de roupa
  • Agasalho (afinal, ninguém sabe quando o tempo vai mudar)
  • Sabonete e xampu (se o pequeno precisar tomar banho…)
  • 4 fraldas
  • Lencinhos umedecidos
  • Pomada
Saúde do bebê: veja 7 situações que costumam tirar o sono das mamães e saiba como evitar transtornos

Reprodução/Instagram

Em caso de engasgo

Os engasgos podem ocorrer quando o bebê engole muito ar durante a amamentação. Sendo assim, previna o problema fazendo com que ele abocanhe toda a aréola na hora de oferecer o peito.

Já se a bebida estiver sendo oferecida na mamadeira, o furo do bico não deve ser muito grande. Isso evita que o bebê engula muito leite de uma só vez.

Após os oito meses, quando o bebê estiver tendo seus primeiros contatos com papinhas mais sólidas, é hora da mamãe ficar de olho em possíveis engasgos causados por pedaços muito grandes.

“No caso de obstrução, a mãe deve tentar tirar da boca do bebê o pedaço do alimento com a mão. Se não conseguir, bata nas suas costinhas ou abrace a criança pelas costas e aperte a região do estômago”, orienta a médica. “Já se o bebê se engasgar com líquido deve-se bater nas suas costas e fazer ele chorar”, completa.

Explorando o mundo

Bebês com poucos meses de vida possuem praticamente nenhum anticorpo. Aos poucos, eles vão aumentando as suas defesas através da amamentação, com as vacinas e do contato gradual com o mundo ao seu redor.

Por todos esses motivos, evite expor o bebê que acabou de nascer a passeios em ambientes com muita gente, especialmente se ele ainda não tomou todas as suas vacinas. O contato com a mais inofensiva das bactérias pode causar conseqüências desastrosas, de alergias a diarréia. Sem contar que há possibilidade do pequeno se deparar com outros microorganismos perigosos, como as bactérias causadoras da temida meningite e o bacilo que provoca a tuberculose.

O mesmo princípio vale se você tiver gato ou cachorro em casa. “Os cachorros e gatos devem ser vacinados, estarem sempre limpos e precisam ficar afastados do bebê para evitar doenças”, explica Ana Cláudia.

Sendo assim, nada de querer tirar uma foto do seu bebê abraçando o totó antes que suas defesas estejam totalmente formadas.

Visitas à vista

Devido à formação imatura do sistema imunológico do bebê, outra providência que deve ser tomada é não deixar qualquer pessoa segurar o pequeno no colo.

Se ao visitá-la, aquela prima distante trouxer a tira-colo a turma de amigos, não tenha medo de dizer um bom e sonoro “não” para quem quiser segurá-lo. Assim, você estará evitando que o pequeno fique doente à toa. Já no caso das visitas mais íntimas, como as das titias, primas e vovós, a principal orientação é fazer todo mundo lavar as mãos antes de apertar a bochecha do pequeno.

Saúde do bebê: veja 7 situações que costumam tirar o sono das mamães e saiba como evitar transtornos

Shutterstock

Bebê limpinho

Por onde começar a higiene do bebê? Antes de mais nada, saiba que cada parte do seu corpinho merece um tratamento especial. “Lave o umbigo com água e sabonete neutro. Também pode passar álcool 70% nas trocas de fralda até o coto umbilical cair”, orienta a pediatra.

Os órgãos genitais podem ser lavados com água e sabonete, inclusive nas trocas de fraldas, se necessário. Aliás, o ideal seria lavar o bumbum com água morna todas as vezes que o bebê evacuar. “Os pais devem ficar atentos quando o umbigo ficar vermelho e quando aparecer assaduras”, comenta Ana Cláudia.

Com todo o cuidado, mantenha as unhas do pequeno sempre cortadas ou lixadas. “As unhas, principalmente as dos pés, podem encravar. Sendo assim, procure sempre um pediatra em caso de dúvida”, complementa.

Que frio!

Sua avó tem toda a razão quando manda você tomar cuidado com a friagem. Para o bebê, essa vilã pode provocar desde um simples resfriado até uma grande dor de ouvido. Para não ver o pequeno sofrendo à toa, o melhor jeito de acabar com o problema é controlar as correntes de ar que circulam pela casa. Quando for dar banho no fofinho ou mesmo fazer a troca de fralda, certifique-se de que todas as portas e janelas da casa estão bem fechadas.

Nos dias frios, sempre mantenha o bebê muito bem agasalhado, claro! Outra dica é caprichar na higiene durante as trocas, uma vez que tecidos muito pesados podem prejudicar a respiração da pele do bebê. Caso essa fique muito tempo em contato com resquícios de urina e fezes, é assadura na certa! Fique de olho!

Quedas e afins

Por mais que a mãe olhe, observe e vigie seu filho o tempo todo, as quedas do pequeno podem acontecer. Nesses casos, a primeira dica da pediatra é manter a calma (por mais difícil que isso seja) e tentar acalmar o pequeno. Na sequência, faça um check-list:

  • Observe como ocorreu a queda, a altura que o bebê caiu e se havia objetos perigosos no chão.
  • Faça uma boa vistoria se o bebê bateu a cabeça e se ela está sangrando ou com hematomas.
  •  Veja se o pequeno está se mexendo normalmente. No caso de ferimentos ou perda de consciência, procure um médico imediatamente. Se o bebê não aparentar nenhuma mudança de comportamento, e, mesmo assim, você estiver insegura quanto à saúde dele, vale a pena procurar um pediatra e relatar o ocorrido. Afinal, queda é coisa séria!

Texto: Leonardo Valle

Consultoria: Ana Cláudia dos Santos, pediatra do Hospital e Maternidade Neomater, de São Bernardo do Campo (SP)

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.