Quer favorecer o cérebro e proteger o coração? Coma sardinha!

Acrescentar a sardinha e outros tipos de peixe no cardápio é garantia de bom funcionamento do cérebro e coração. Conheça os principais benefícios

None
Foto: iStock/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 16/05/2017 às 12:19
Atualizado às 13:52

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Você sabia que diferente das carnes vermelhas gordas, os peixes gordos são fontes saudáveis de nutrientes? Pois é, a carne de peixe é proteína de alto valor biológico, pois fornece todos os aminoácidos essenciais, aqueles que não são produzidos pelo organismo. Seu consumo é imprescindível para a manutenção de tecidos, músculos e órgãos, incluindo enzimas, anticorpos e hormônios. No entanto, apesar do extenso litoral, o Brasil, assim como os demais países ocidentais, tem baixo consumo de peixes e frutos do mar.

Ômega-3 na cabeça!

Sardinha, salmão, atum e truta vivem em águas frias e para se aquecer possuem uma generosa e excelente camada de gordura, que inclui o ômega-3, muito útil no processo de desenvolvimento cerebral e nervoso. Por não ser sintetizado pelo organismo, esse ômega é precursor de outro ácido graxo, o DHA (ácido docosahexaenoico), que tem participação ativa na formação e manutenção do sistema nervoso e na constituição dos neurônios. “Quando envelhecemos, os níveis do DHA diminuem, assim como, em maior intensidade, nas doenças de Alzheimer, Parkinson e na esclerose lateral amiotrófica” explica a nutricionista Fernanda Granja.

A sardinha é um peixe que migra muito, por isso, para manter reservas de energia, acaba armazenando gorduras, além de consumir algas ricas em ômega-3. Incluindo o alimento no seu prato, a saúde melhora consideravelmente, conforme explica a médica ortomolecular e nutróloga Tamara Mazaracki. “A sardinha é altamente saudável. Sua gordura poli-insaturada é benéfica para o coração, tem ação anti-inflamatória no organismo, melhora a função cerebral e articular e facilita a recuperação muscular após a prática de exercícios”, afirma.

Sardinha na Brasa

Prefira peixes assados, grelhados ou ensopados para não comprometer a saúde. FOTO: Shutterstock

Pesquisa realizada na Universidade Laval, no Canadá, revelou que, ao gerar impulsos nervosos, o ômega-3 potencializa a comunicação entre os neurônios e os protege dos radicais livres, notórios destruidores das células. A mesma pesquisa observou um risco 47% menor de desenvolver Alzheimer em indivíduos que consumiam pelo menos uma porção de peixe por semana.

Mais nutrientes e benefícios

Ótimo aliado contra as doenças cardiovasculares, o ômega-3 também protege as artérias, facilita o fluxo sanguíneo, reduz a pressão arterial e auxilia na redução das taxas de colesterol. O magnésio, mineral também presente nos peixes, diminui os riscos de aterosclerose e infarto, assim como a vitamina E, e alivia sintomas de asma e enxaqueca. Muitos outros nutrientes contam pontos a favor da carne que vem das águas. O cálcio ajuda na manutenção dos ossos, assim como o fósforo, que também preserva a memória. Vantagens em incluir a sardinha no cardápio não faltam. Mas atenção para as enlatadas! Elas são bastante práticas, mas se recomenda o descarte do óleo antes do consumo.

Texto: Redação Alto Astral | Consultoria: Fernanda Granja, nutricionista; Tamara Mazaracki, médica ortomolecular e nutróloga

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.