O que fazer em São João del Rei? Descubra as atrações históricas!

Vai viajar a Minas Gerais e passar por São João del Rei, mas não sabe o que visitar na cidade? Confira essas atrações históricas a serem exploradas!

None
FOTO: Reprodução/Instagram

por Redação Alto Astral
Publicado em 25/11/2016 às 10:00
Atualizado às 14:06

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

São João del Rei, a 180km da capital Belo Horizonte, é conhecida por ser a terra em que Tiradentes nasceu. Mas além desse motivo histórico, o município, hoje, abriga progresso e desenvolvimento econômico com respeito ao passado.

Depois de um Feriado vida que segue! #bomdia #saojoaodelrei #minasgerais #mg #dia

A photo posted by São João Del Rei (@saojoaodel) on

Andando pelas ruas da cidade, é possível ver, literalmente, o tempo passar. As antigas construções do período colonial bem preservadas são ladeadas por novos prédios sem qualquer constrangimento.

Assim como em diversas cidades de Minas, Aleijadinho também contribuiu para o patrimônio artístico de São João del Rei. Suas obras em pedra-sabão podem ser vistas na Igreja São Francisco de Assis, bastante trabalhada em detalhes barrocos e rococós e umas das mais importantes no circuito de Minas.

A Catedral Nossa Senhora do Pilar faz dupla com a de São Francisco no quesito relevância histórica. Seu interior é bem ornamentado, trabalhado com filetes dourados. Entre as igrejas, a da Nossa Senhora do Carmo, com sua arquitetura barroca, também deve ser colocada na lista de passeios obrigatórios.

O mais puro ouro das Minas Gerais!! ⛪?

A photo posted by André Lopes Ladeira (@ladeiraandre) on

Já o Solar dos Neves, residência do ex-presidente Tancredo Neves, um dos mais ilustres filhos de São João del Rei, pode ser visto apenas por  fora, enquanto o Teatro Municipal tem visitas monitoradas por guias, que contam um pouco da história por trás das grandes paredes da construção.

Durante todo o percurso pelo município, não se assuste se ouvir os sinos das igrejas tocarem constantemente. É que, no município, a antiga linguagem dos sinos ainda é mantida para anunciar solenidades, missas, procissões e funerais com precisão de local e horário, usando apenas repiques, dobres e toques produzidos pelo instrumento.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Edição: Érica Aguiar

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.