É de menino ou menina? Conheça as roupas sem gênero para crianças

Conheça um pouco sobre as roupas sem gênero para crianças e aposte no estilo que une conforto e liberdade para os pequenos

None
Foto: Reprodução/ Pinterest

por Redação Alto Astral
Publicado em 23/06/2017 às 10:59
Atualizado às 13:40

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Com modelos confortáveis, muitas cores e peças unissex, as roupas sem gênero para crianças estão ganhando espaço nos looks infantis. O conceito de moda sem gênero vem ganhando força entre grandes marcas e fashionistas e está cada vez mais presente no setor infanto-juvenil. São peças versáteis, contribuem para o consumo consciente e libertam os pequenos da regra ‘rosa é para menina e azul para menino’.

As próprias crianças já estão se questionando cada vez mais sobre suas opções. A pequena Alice Jacob de 5 anos escreveu uma carta para a marca GAP questionando a sua seção infantil: “As camisetas dos meninos são muito mais legais. Por que vocês não fazem camisetas legais para garotas? De repente, só fazer uma seção sem dividirmeninos e meninas, diz em um trecho da carta publicada no Washington Post.

As roupas sem gênero para crianças são importantes para formar uma geração mais livre

Quanto antes à liberdade de escolha e discernimento da criança for estimulada, mais cedo ela irá compreender que tem diversas opções de escolhas. O nicho é novo e está em processo de pesquisa e, principalmente, sendo produzidos a partir do olhar de mães sobre os produtos que serão criados para seus filhos.

A marca ROUPA PARA BRINCAR, da jornalista Renata Gallo e da fisioterapeuta Telma Gagliardo, nasceu a partir de uma necessidade como mães e consumidoras: “Surgiu depois de ver o quanto as seções infantis das lojas vendiam roupas ‘piniquentas’, que travavam o movimento da crianças e os impediam nas brincadeiras. Pensamos em algo que fosse o oposto disso. Uma roupa para criança de fato ser criança. contam.

Elas acreditam que as peças não devem seguir o senso comum – para meninas, tudo rosa e de princesa – e, para os meninos, tudo de super herói, por exemplo – e defendem que ela também não precisa ser básica. As peças podem (e devem!) ser cheia de cor e personalidade, para que agradem meninos e meninas!

Uma prova é o sucesso da venda de suas leggings coloridas e estampadas, o carro-chefe da marca. Segundo as sócias, as mães amam o conforto da peça: “Uma mãe que disse que o filho chama de ‘roupa rápida’. Os meninos usam muito jeans, então quando vestem uma calça com um tecido macio não querem mesmo tirar” complementam.

Elas destacam que a visibilidade que grandes marcas e personalidades dão ao apoiar peças sem gênero ajudam a amenizar o preconceito e desconhecimento sobre o nicho. Por fim, acreditam que essa história de feito “para menina” ou “para menino” está ficando no passado.

E você, mamãe, o que acha sobre as roupas sem gênero para os pequenos?

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.