ESTILO DE VIDA

Acabe com o vício: conheça os riscos que o cigarro traz à saúde

O cigarro causa dependência e apresenta substâncias que fazem mal a todo o organismo: pele, coração, estômago e outros órgãos sofrem com o vício.

None
FOTO: iStock e Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 29/08/2016 às 19:43
Atualizado às 20:59

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Fumar é um hábito cada vez menos frequente entre os brasileiros: atualmente, 10,8% da população ainda tem o cigarro como um vício, sendo que os números representam uma queda de 30,7% no percentual de fumantes nos últimos nove anos. Entretanto, o ideal seria que todas as pessoas tivessem consciência dos malefícios que o cigarro causa ao organismo.

Então, como hoje é Dia Nacional de Combate ao Fumo, chegou a hora de melhorar esse cenário, descobrindo todos os riscos que o cigarro traz à saúde.

O vício em cigarro é prejudicial à saúde

FOTO: Shutterstock

Substâncias encontradas no cigarro

Ao fumar, são introduzidas no organismo mais de 4.700 substâncias tóxicas, e pelo menos 69 são cancerígenas. Algumas são estimulantes e levam ao vício, como a nicotina. Confira as principais:

• Nicotina: causa dependência e age como vasoconstritora, elevando a pressão arterial e os batimentos cardíacos, além de descontrolar as taxas de colesterol. Após o efeito estimulante, vem o tranquilizante – por isso, muitos fumantes recorrem ao cigarro para aliviar o estresse. Pesquisa da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, revelou que, quando consumidas pela primeira vez, a nicotina e a cocaína acionam os mesmos mecanismos do cérebro.

SAIBA MAIS:

Descubra se parar de fumar engorda

10 mitos e verdades sobre deixar o fumo de lado

Fumar maconha durante a gestação prejudica o feto?

• Monóxido de carbono: é o mesmo gás liberado pelo escapamento dos automóveis. Diminui a oxigenação do sangue e, por isso, reduz o desempenho em atividades físicas, a capacidade de cicatrização e a absorção de nutrientes no organismo.

• Alcatrão: reúne elementos cancerígenos como polônio, chumbo, arsênio (que está presente em inseticidas), cádmio (usado na fabricação de pilhas e baterias) e fósforo P4/ P6 (encontrado em veneno de rato e produtos de limpeza).

• Amônia: reduz a acidez da fumaça do cigarro, colaborando para maior absorção da nicotina e, consequentemente, contribuindo para a dependência. É uma substância corrosiva.

O cigarro causa dependência e inúmeras doenças

FOTO: iStock e Getty Images

Consequências em todo o corpo

Ossos fracos: a menopausa é antecipada, fator de risco para a osteoporose. A massa óssea também é afetada, e alguns estudos sugerem a relação entre o cigarro e a redução de osteoblastos, células que sintetizam a massa óssea.

Sem ar: bronquite, câncer, enfisema e outros problemas se desenvolvem nos pulmões. O aproveitamento do oxigênio é prejudicado e, com o tempo, o fumante perde o fôlego até mesmo em repouso.

Até no sistema digestivo: a nicotina aumenta a acidez do estômago, o que pode provocar gastrite. Os riscos de desenvolver tumores no órgão também aumentam.

Sorriso amarelo: além do escurecimento dos dentes, o fumo também torna as gengivas mais sensíveis a inflamações.

Velhice cedo demais: aumenta a produção de radicais livres, substâncias altamente reativas que danificam as células, causando seu envelhecimento. Surgem, assim, as rugas e a pele perde a vivacidade.

Visão afetada: o índice de catarata em fumantes é 40% maior do que em quem não fuma. O problema se caracteriza pela opacificação do cristalino, lente natural do olho, e é tratado somente com cirurgia.

Texto Marisa Sei/Colaboradora

Consultoria Roque Savioli, cardiologista