Repelentes para grávidas são distribuídos de graça em postos

Gestantes que fazem parte do Bolsa Família receberão repelentes gratuitamente a fim de evitar zika e febre amarela; saiba mais

None
Ministério da Saúde distribuirá repelentes para grávidas de baixa renda | Foto: Divulgação

por Redação Alto Astral
Publicado em 03/03/2017 às 16:38
Atualizado às 13:33

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O Ministério da Saúde divulgou em nota que distribuirá repelentes para mulheres grávidas e participantes do Programa Bolsa Família. De acordo com o órgão, a medida visa evitar a microcefalia causada pelo zika vírus, que atinge o bebê ainda na fase da gestação. Os 15,9 milhões de frascos, que foram adquiridos no dia 9 de fevereiro, já estão sendo entregues às Secretarias de Saúde estaduais, e a previsão para o início da retirada é a partir de março – ainda sem dia exato confirmado – e irá perdurar por todo o ano de 2017.

Com esta ação, cerca de 484 mil mulheres grávidas serão protegidas do zika vírus, que é transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti – responsável também pela dengue e chikungunya. Mas apesar da distribuição gratuita do produto, ainda é indispensável se precaver de outras maneiras, como, por exemplo, não deixando água parada.

Frascos de repelentes para grávidas

Frascos de repelentes que serão distribuídos gratuitamente para grávidas de baixa renda | Foto: Reprodução/Secretaria de Saúde

Com o produto entregue aos estados, ficará a encargo das prefeituras municipais decidir a maneira de distribuição dos repelentes, que contará também com monitoramento do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA). O produto está embalado em formato de spray, sendo que cada unidade conterá 100ml do produto. Segundo informações divulgadas em nota pelo Ministério da Saúde e registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o repelente deve surtir efeito na pele por, no mínimo, quatro horas.

Tocantins e Goiás foram os primeiros estados a receber o repelente, cuja entrega foi realizada nos dias 16 e 17 de fevereiro. Alagoas, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e Sergipe também já foram abastecidos.

Já os estados do Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul ainda não receberam o produto, que está com entrega agendada para até a próxima segunda feira (06.03). Acre, Bahia, Pernambuco, Rondônia, Roraima e São Paulo ainda não possuem um parecer sobre a situação de entrega.

Economia

Ainda sobre informações divulgadas em nota pelo Ministério da Saúde, o processo de escolha da empresa a fabricar o repelente foi realizado conforme regras da legislação brasileira. Estipula-se que aproximadamente R$ 125 milhões foram economizados dos cofres públicos, já que o valor gasto com a ação ficou em cerca de R$ 82 milhões, ou seja, 56% abaixo do valor previsto.

Zika virus

De acordo com o Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde, até o final de 2016 foram registrados mais de 230 mil casos de febre pelo vírus Zika. Abaixo, confira na galeria algumas dicas de como se prevenir não somente do Zika vírus, mas de todos os outros males causados pelo mosquito Aedes Aegypti:

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER