Psoríase: manchas avermelhadas que descamam e coçam

A psoríase é uma patologia crônica que acontece em ciclos, trata-se de uma doença difícil de ser diagnosticada e que precisa de tratamento constante

None
Psoríase é uma doença hereditária e não contagiosa. FOTO: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 16/08/2017 às 17:00
Atualizado às 14:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A psoríase costuma ser uma doença difícil de ser diagnosticada, pois não apresenta uma causa conhecida. Trata-se de uma disfunção no sistema imunológico, em que as células que são responsáveis pela proteção do corpo atacam as da pele.  Por causa desse processo a pessoa desenvolve manchas vermelhas e descamativas que podem aparecer em qualquer parte do corpo: braços, pernas, tronco, couro cabeludo, até mesmo entre os dedos e nas unhas.

Essa doença é crônica e ocorre em ciclos, ou seja, pode ir e voltar espontaneamente, também é genética e hereditária, passando por vários membro da família. Apesar disso, não é contagiosa e pode ser desencadeada por fatores externos como estresse. As manchas podem aparecer de um dia para o outro, “0 que começa com uma simples lesão, pode virar uma placa maior na pele”, esclarece a dermatologista  Dra. Maria Paula Del Nero.

Atenção médica

Quem possui psoríase nem sem consegue identificar a patologia sem o auxílio de um especialista, já que nem sempre as manchas aparecem do mesmo jeito em todos os pacientes. Alguns dos sinais mais comuns são manchas avermelhadas descamativas que coçam e deixam a região desidratada. Por isso, é importante ficar atento ao sinais para evitar ataques e controlar a doença. “É importante atuar também na prevenção das crises, usando cremes altamente hidratantes, emolientes e de boa qualidade todos os dias, mesmo quando as lesões não estão aparentes, pois melhorando a barreira cutânea, conseguimos diminuir os sintomas”, explica.

O tratamento da psoríase é realizado por meio de cremes calmantes e hidratantes sem corticoides de uso tópico. A dermatologista ainda completa com um conselho: “Não se pode deixar que a psoríase interfira na sua qualidade de vida. Então, o caminho certo é seguir à risca o tratamento médico recomendado”.

Texto: Michele Custódio/Colaboradora | Consultoria: Dra. Maria Paula Del Nero, dermatologista consultora da Biobalance

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.