Psicose: descubra o que é, como diagnosticar e formas de tratamento

A psicose engloba uma série de doenças caracterizadas pela perda de contato da pessoa com a realidade. Saiba mais sobre o assunto e conheça alguns tipos!

None
A psicose afeta a noção de realidade do paciente, comprometendo suas ações e pensamentos. Foto Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 19/05/2017 às 08:23
Atualizado às 08:23

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Você já ouviu falar em psicose? Esse termo remete a uma série de doenças de ordem psíquica que, em sua maioria, afetam a noção de realidade do paciente. Como consequência, ele passa a ter comportamento alterado com viés antissocial. É possível que a pessoa desenvolva o problema de repente, episódio conhecido como surto psicótico. Em outros casos, os indivíduos podem apresentar a doença pelo resto da vida, a chamada psicose crônica.

De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria, a psicose é notada com mais frequência no final da adolescência e começo da vida adulta, em pessoas com faixa etária entre 17 e 28 anos. Além disso, a cada cem pessoas da população, três apresentarão um episódio psicótico ao longo da vida.

Sintomas como tristeza, apatia e depressão podem indicar algum tipo de psicose.

Sintomas como tristeza, apatia e depressão podem indicar algum tipo de psicose. Foto Shutterstock

Quais são os sintomas?

Para que o diagnóstico correto seja feito, é necessário buscar ajuda profissional, com um psicólogo ou psiquiatra. Entretanto, ficar atento a alguns sinais pode facilitar essa missão. Então, a seguir, conheça alguns sintomas da psicose.

  • Alucinações: o paciente enxerga ou escuta coisas que não estão, de fato, acontecendo. Ou seja, ocorre uma alteração da realidade. Por exemplo: ele pode acreditar que existe uma pessoa que o está perseguindo, um animal que quer atacá-lo, um cheiro diferente e irreal…
  • Mudança de sentimentos: o indivíduo com algum tipo de psicose pode alterar o que sente com muita rapidez. Dessa forma, em um momento ele está muito feliz e animado e, de repente, fica calado e deprimido.
  • Pensamentos desorganizados: a pessoa psicótica segue um linha de raciocínio que, muitas vezes, não faz sentido para os demais. Além disso, é bem provável que ela apresenta uma certa dificuldade em se concentrar, ao mesmo tempo em que seus pensamentos ficam acelerados ou muito lentos.

A psicose engloba uma série de doenças com sintomas diferentes.

A psicose engloba uma série de doenças com sintomas diferentes. Foto iStock.com/Getty Images

Alguns tipos de psicose

Esquizofrenia: é uma doença que apresenta sintomas marcantes. Não existe nenhum exame de laboratório que comprove a existência do transtorno, no entanto, um psiquiatra não deve apresentar dificuldades para fechar o diagnóstico. “Os pacientes com a doença se caracterizam por não conseguir distinguir o real do imaginário”, ressalta a psicóloga Ana Cristina Fraia. As causas da doença ainda são incertas, porém, como os sintomas existem, os médicos têm algumas suposições, como explica o psiquiatra Mario Louzã Neto: “Algumas pesquisas mostram que existem alterações químicas no cérebro dessas pessoas que são as responsáveis pelos sintomas”.

Transtorno bipolar: segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), trata-se da sexta maior causa de incapacitação no mundo, já que a instabilidade de humor atrapalha o desenvolvimento do trabalho. A marca da doença são as alterações de humor. “Geralmente, ela é caracterizada por mudanças no comportamento. A pessoa fica triste, irritada, sem ânimo ou impaciente, desmotivada, com a mente, a fala e o jeito acelerados o que caracteriza sua forma eufórica, também conhecida como mania. Estas duas formas se apresentam na mesma pessoa, resultando no transtorno”, explica o psiquiatra Sander Fridman.

Psicose induzida por drogas: quando uma pessoa faz uso de maconha, cocaína, álcool ou qualquer outro tipo de droga, pode apresentar um comportamento psicótico. Além disso, o uso dessas substâncias também influencia na piora de um problema mental já detectado.

O tratamento indicado por um psiquiatra é a melhor forma de combater a psicose.

O tratamento indicado por um psiquiatra é a melhor forma de combater a psicose. Foto Shutterstock

Formas de tratamento

A psicose apresenta cura, portanto, depois de detectada, deve ser tratada, a fim de garantir qualidade de vida ao paciente e seus familiares. É importante destacar que cada doença tem um tratamento específico, mas todas elas apresentam pontos em comum. Por isso, a cura envolve variados fatores, tais como: medicamentos prescritos por médico psiquiatra, orientação familiar, hospitalização (se necessário), grupos de apoio para familiares com psicose e muita atividade física ao ar livre (caminhadas assistidas).

Consultoria: Mario Louzã Neto e Sander Fridman, psiquiatras

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.