ESTILO DE VIDA

Proliferação de bactérias bucais é causada por higiene inadequada. Entenda!

A limpeza correta da boca e dos dentes pode evitar o desenvolvimento desequilibrado de bactérias bucais e consequente desenvolvimento de doenças

None
Bactérias bucais podem ser responsáveis por surgimento de doenças e infecções em outras partes do corpo. FOTO: Pixabay

por Redação Alto Astral
Publicado em 12/07/2017 às 07:00
Atualizado às 07:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Que a nossa boca é cheia de bactérias, muita gente já sabe. O que ainda pode ser novidade para algumas pessoas é o fato de a saúde bucal estar relacionada também com a do resto do corpo. A falta de cuidados com os dentes e com a higiene da boca pode, em casos extremos, desencadear infecções maiores, causadas pelas bactérias bucais ou, ainda, servir de porta de entrada para fungos e vírus.

Segundo a Maristela Lobo, doutora em clínica odontológica e especialista em estética, periodontia e implante, a higiene bucal realizada de forma inadequada pode servir como mola propulsora para o desenvolvimento desequilibrado de bactérias, provocando infecções e doenças. “A boca é uma parte do corpo sensível a contaminações. Entretanto, quando há o controle da quantidade e da qualidade dos micro-organismos bucais frito por meio de uma boa higiene oral e ausência de fatores que favoreçam o acúmulo da placa bacteriana, as doenças bucais infecciosas dificilmente se instalam”, explica. Ainda segundo a doutora, tratamento incorreto e operações odontológicas mal feitas também são facilitadores para a instalação de diversas doenças e infecções.

Falhas na proteção

Mas, se a boca já é habitada por bactérias, como muita gente passa a vida sem ter nenhum problema bucal? A questão é que, justamente por já ser um depósito natural desses micro-organismos, nossa boca é munida de algumas “barreiras”, que são encarregadas de impedir que as bactérias ali presentes se espalhem e nos causem problemas. O surgimento de doenças e infecções aparece justamente quando ocorre uma falha nesse sistema de proteção.

“Há um selamento biológico epitelial e conjuntivo ao redor dos dentes que impede a passagem de bactérias orais ao meio interno, ou seja, ao tecido conjuntivo, aos ossos e à corrente sanguínea. O próprio epitélio [tecido] oral é impermeável a tais bactérias“, explica a especialista. “Se há falha nesse selamento biológico ou se há algum foco silencioso de infecção, como canais radiculares que não foram tratados corretamente, mas que não exibem sintomatologia clínica, como dor, sangramento, pus ou qualquer sinal de inflamação, as bactérias patogênicas podem penetrar a corrente sanguínea e se alojar em órgãos vitais, como o coração, causando a endocardite bacteriana”, completa.

Com o acompanhamento profissional adequado é possível evitar futuros problemas decorrentes de infecções bucais e mesmo doenças do corpo

Com o acompanhamento profissional adequado, é possível evitar futuros problemas decorrentes de infecções bucais e mesmo doenças do corpo. FOTO: iStock e Getty Images

Para evitar problemas

Mas calma! Apesar de ser realmente necessário o cuidado adequado com a boca e os dentes, não existe segredo para se prevenir contra essas infecções e doenças. Segundo Maristela, o acompanhamento especializado e constante da higiene bucal já serve de prevenção contra inúmeras patologias que podem vir a se desenvolver nessa parte do corpo. “Revisão periódica em um dentista qualificado pode prevenir esse tipo de problema, embora a biologia nunca seja exata.

Duas vezes por ano, visitas de rotina e check-ups bucais preventivos devem ser realizados; e uma vez por ano recomenda-se a aquisição de exames de imagem, tais como radiografias e ou tomografias computadorizadas, para a melhor avaliação das bases ósseas e de dentes que tenham prognóstico [futuro] duvidoso”, conta a especialista.

Para ela, ter consciência da gravidade dos problemas que podem surgir devido aos cuidados inadequados com a higiene dentária e bucal ajuda a derrubar preconceitos e estereótipos que ainda rondam tanto a odontologia e seus profissionais quanto a atenção que essa parte do corpo merece. “Ou seja, a odontologia nem de longe se resume a consertar dentes; é uma área da saúde de extrema importância para o bem-estar da população. Por isso, é muito importante eleger um profissional clínico de confiança e seguir com as avaliações a cada seis meses, porque, assim, o dentista terá o histórico e saberá detectar precocemente focos infecciosos e alterações do estado de saúde bucal e geral do paciente”, orienta.

Texto: João Paulo Fernandes/Colaborador | Consultoria: Maristela Lobo, mestre em odontologia e doutora em clínica odontológica pela FOP UNICAMP e especialista em estética, periodontia e implante

LEIA TAMBÉM