ESTILO DE VIDA

Saiba como reconhecer problemas emocionais em crianças

Crianças não manifestam problemas emocionais da mesma forma que adultos. Veja como identificar quando algo não vai bem na infância.

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 16/09/2016 às 19:55
Atualizado às 20:57

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quando a criança vive sob estresse, seja por atribuições frequentes, falta de apoio ou abusos, isso se torna tóxico e danifica a estrutura cerebral. E os resultados disso se estendem para a vida adulta, causando problemas de aprendizagem e comportamento.

Estudos da Kaiser Permanent, organização sem fins lucrativos da Califórnia, ainda comprovam que adultos com problemas de saúde mental, vício, obesidade, diabetes tipo 2, doenças coronárias e outras condições tinham tido desenvolvimento comprometido na primeira infância. Porém, crianças não manifestam problemas emocionais da mesma forma que adultos. Veja a seguir como identificar quando algo não vai bem na infância.

casal, crianças, cadeiras, menina, chorando

Foto Shutterstock.com

Sinais de que algo não vai bem:

  • Apego excessivo aos pais;
  • Necessidade de estar sempre fora de casa com outras pessoas que não sejam da família;
  • Falta de comunicação ou socialização;
  • Temperamento agressivo sem motivo aparente;
  • Mentiras frequentes;
  • Relação de compulsão por comida ou gula;
  • Problemas para lidar com separações e rupturas da rotina.

Atenção: esses tópicos funcionam como um guia, porém as patologias que envolvem doenças mentais na infância precisam ser tratadas por especialistas, pois nem sempre possuem um passo a passo de tratamento ou um diagnóstico específico. Já por boa saúde mental, entende-se quando a criança tem um bom desenvolvimento físico, intelectual e emocional. Entretanto, vale ressaltar: “o contrário nem sempre indica ausência de saúde mental, a desobediência, a ‘má educação’ e mesmo a dificuldade de aprendizado podem ser relacionados ao desejo da criança de ser vista e amada”, destaca Heloísa Capelas, especialista em autoconhecimento, inteligência comportamental.

Consultoria Heloísa Capelas, especialista em autoconhecimento, inteligência comportamental