Problemas associados à obesidade que podem comprometer a cirurgia bariátrica

Algumas doenças se desenvolvem devido à obesidade. Para o sucesso da cirurgia é preciso mantê-las sob controle

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 17/10/2014 às 08:25
Atualizado às 21:04

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A obesidade mórbida não gera somente problemas estéticos e de locomoção. O quadro também carrega consigo diversos distúrbios na saúde, sendo este um dos fatores que fazem da cirurgia bariátrica uma opção. Uma vez decidido ser feita a cirurgia, tais problemas devem estar controlados. “As doenças associadas devem ser controladas para diminuir riscos de complicações intra e pós-operatórias”, afirma o cirurgião do aparelho digestivo  Alexandre Cruz Henriques.

Problemas associados à obesidade que podem comprometer a cirurgia bariátrica

Foto: Thinkstock/Getty Images

Diabetes

O diabetes tipo 2 está estreitamente ligado ao excesso de peso. Estima-se que a cada 10 diabéticos tipo 2, 8 estão acima do peso. “O diabetes descompensado aumenta o risco de complicações cirúrgicas como retardo na cicatrização e aumento da chance de infecções, desse modo, é imperativo o seu controle antes da cirurgia”, salienta o endocrinologista Felipe Henning Gaia Duarte. Dessa forma, é fundamental o acompanhamento do endocrinologista, assim como outros especialistas capacitados a lidar com a doença.

Hipertensão

Estar fora do peso, muitas vezes, também indica ter a pressão alta. Dentre as doenças associadas à obesidade, a hipertensão é a que mais representa perigo para a cirurgia de redução de estômago, inclusive durante a operação, podendo até levar o paciente a óbito. “A hipertensão controlada deve ser sempre uma meta do cardiologista antes de liberar um paciente para qualquer cirurgia, visto que a hipertensão descontrolada pode aumentar o risco de complicações”, explica o cardiologista Hélio Castello.

Colesterol

O colesterol alto não influencia diretamente na cirurgia bariátrica, mas está relacionado à qualidade da saúde do paciente, sendo quesito para a liberação do procedimento. A alimentação saudável colabora bastante para o controle do mau.

Como controlar

A perda de peso a qual grande parte dos pacientes deve passar antes de se submeter à redução, por si só, já ajuda no tratamento das doenças associadas. Ao mesmo tempo, uma alimentação saudável e equilibrada combina com uma rotina de exercícios físicos são importantes para se alcançar o controle dos problemas.

Emagrecer

Na maioria dos casos de obesidade o paciente é orientado a perder cerca de 10% do seu peso antes da gastroplastia, um fato que colabora não somente para o sucesso da operação, mas também para a melhora da saúde como um todo. “A solicitação para perder 10% de peso no período pré-operatório fundamenta-se no fato de que colabora não somente para o sucesso da operação, mas também para a melhora da saúde como um todo. “A solicitação para perder 10% de peso no período pré-operatório fundamenta-se no fato de que com esta atitude o paciente demonstra sua disposição em mudar o hábito de vida. Além disso, por si só, a perda de peso melhora as doenças associadas”, explica Henriques. “Estudos mostram que a redução de 5% a 10% do peso antes da cirurgia está associada à diminuição da chance de complicações pós-operatórias que vão desde infecção, cicatrização dos pontos, alterações respiratórias, alterações de pressão arterial além de favorecer ao controle do próprio diabetes”, destaca Duarte.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.