Conheça os principais tipos de inchaço, suas causas e efeitos no corpo

Você sabia que existem vários tipos de inchaço? Saiba tudo sobre a retenção de líquidos, as principais causas e seus efeitos no corpo!

None
Foto: iStock.com/GettyImages

por Redação Alto Astral
Publicado em 01/03/2017 às 19:29
Atualizado às 12:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Inchaço é o nome popular dado para edema, que é causado pela retenção de líquidos e se localiza em uma região do corpo ou nele todo. Ele ocorre por diversos motivos, por isso é importante procurar um médico e determinar a melhor forma de tratamento. Segundo Flávia e Ariane Schultz, fisioterapeutas, os edemas estão divididos em três grupos. São eles:

Mulher medindo a circunferência da barriga com fita métrica

Foto: iStock.com/GettyImages

Edema comum

“É o acumulo de água e sal no espaço localizado entre os vasos sanguíneos e os tecidos”, explicam. As causas são inúmeras, sendo as mais comuns: os problemas cardíacos, renais, alergias, posturas (ficar por um longo período em pé, sentado ou deitado), período menstrual, gestação e alimentação inadequada (geralmente por excesso de sal e falta do consumo de água).

Linfedema

“É um tipo de inchaço gerado por excesso de fluidos linfáticos, normalmente por obstrução, falhas ou patologias no sistema linfático, mais comum nas pernas e braços”, alertam as profissionais. A causa mais comum desse tipo de edema é a retirada de gânglios no caso de câncer de mama e alguns outros tipos de câncer que obstruem ou agridem o sistema linfático, ou causado por bactérias que desenvolvem uma patologia conhecida como elefantíase.

Mixedema

“O líquido, além de água e sal, contém proteínas e diversas outras substâncias”, esclarecem Flávia e Ariane. Esse tipo de edema é geralmente causado por disfunções da tiroide, fígado e algumas alergias.

Sintomas

  • Comuns: são notados mais facilmente nas pernas e mãos por ação da gravidade.
  • Cardíacos: são acompanhados de outros sintomas, mas normalmente são em ambas as pernas e se iniciam nos tornozelos, subindo até a região da virilha.
  • Renal: aparecem em membros inferiores, mãos, pálpebras e região abaixo dos olhos, principalmente ao acordar, além de retenção urinária.
  • Alérgica: são generalizados, mas, às vezes, se restringem em determinadas regiões do corpo – principalmente a face – e costumam deixar a pele lisa, brilhante e avermelhada.
  • Insuficiência venosa ou problemas circulatórios: normalmente aparecem em um único membro e são acompanhados de sensação de peso. Em casos mais severos, apresentam dores, vermelhidão e calor no local.

Cuidado com o sal

Ele é branquinho e parece inofensivo, mas quando o sal é consumido em excesso pode fazer muito mal à saúde. Segundo Paula dos Santos Ribeiro, especialista em nutrição esportiva e em fisiologia do exercício, cerca de 40% do sal é composto de sódio, o que o associa a uma série de doenças crônicas, como a hipertensão arterial, sendo esse o principal fator de risco para derrame, infarto e doença cardiovascular, podendo também danificar os rins. “Além de prejudicar a saúde, o excesso de sódio causa inchaço e ainda aumenta o aparecimento de celulite nas mulheres e até nos homens”, afirma a profissional. Portanto, siga a recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde) que aconselha que o consumo seja de menos de 5g por dia. E, para controlar o consumo, vale apostar em alternativas, como temperos feitos em casa, suco de limão, vinagre ou vinho, condimentos e ervas aromáticas. “O sal deve ser retirado da mesa como medida preventiva, por isso, coloque no saleiro uma mistura de ervas e especiarias do seu gosto e deixe sempre pedaços de limão à mesa. E, lembre-se, prove os alimentos antes de salgá-los”, afirma a profissional.

Consultoria: Arian Schultz de Carvalho e Flávia Schultz e , fisioterapeutas; Paula dos Santos Ribeiro, especialista em nutrição esportiva

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.