Cegueira reversível: saiba quais são os principais sintomas da catarata

Você sabe qual é uma das principais causas de cegueira no mundo? Leia mais a seguir sobre os principais sintomas da catarata e o seu tratamento!

None
Visão nublada e dificuldade para realizar leituras são um dos principais sintomas da catarata. FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 23/03/2017 às 13:00
Atualizado às 13:39

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A catarata está entre as principais doenças causadoras da cegueira. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), atualmente a doença é responsável por 51% dos casos de cegueira no mundo, o que representa cerca de 20 milhões de pessoas. O dado é alarmante e segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO), surgem no Brasil, por ano, cerca de 550 mil novos casos da doença. Em 2016, mais de 450 mil cirurgias foram realizadas apenas pelo SUS e ela já é responsável por 48% dos casos de cegueira. Saiba mais como prevenir, quais são os principais sintomas da catarata e como se livrar da doença!

É importante buscar ajuda médica quando os principais sintomas da catarata aparecem

Visão nublada e dificuldade para realizar leituras são um dos principais sintomas da catarata. FOTO: Shutterstock.com

Conhecendo a catarata

O tipo mais comum da doença é a catarata senil, causada pelo envelhecimento natural do cristalino – uma estrutura presente no olho responsável por auxiliar na focalização das imagens. Com o passar do tempo, a transparência do cristalino diminui e ele adquire uma coloração esbranquiçada, causa das principais queixas de quem sofre com o problema. Quanto menos transparente ele está, mais difícil do paciente enxergar com nitidez e focalizar a visão.

Principais sintomas

“A catarata é uma doença silenciosa, que se desenvolve lentamente, dificultando a chegada de luz à retina e consequentemente reduzindo a visão. É como se você, olhasse para uma janela embaçada. Essa visão “nublada” dificulta tarefas do dia a dia, como ler, dirigir e até enxergar as pessoas”, explica o médico Fernando Wanna Pereira, oftalmologista. O mais comum no paciente é a dificuldade de enxergar à noite ou em ambientes escuros; mudança frequente do grau dos óculos; perda da visão de contraste; e aumento da sensibilidade à luz (fotofobia).

Diagnóstico

O diagnóstico da doença é feito pelo oftalmologista por meio do exame de biomicroscopia acompanhado de dilatação da pupila. Geralmente o problema aparece em pessoas acima dos 60 anos e por isso a faixa etária pode ser considerada de risco. Fernando afirma que a única forma de tratar a doença consiste em retirar o cristalino do olho e implantar uma lente artificial em seu lugar, cirurgicamente. “É fundamental que a população tenha consciência da gravidade e busque ajuda médica. Ao contrário do que pode ser dito, não existem colírios ou qualquer outro tratamento clínico para correção de nenhum tipo de catarata.”, conclui.

Como prevenir

O médico ressalta a importância de uma dieta rica em alguns nutrientes que auxiliam na prevenção do problema. Veja quais são eles:

  • Vitamina C: frutas cítricas como a laranja, o limão e o abacaxi e também em goiabas;
  • Carotenoides: presentes em folhas de coloração verde-escura e também na cenoura;
  • Vitamina E: encontrada em gérmen de trigo e abóbora;
  • Selênio: presente em grande quantidade na castanhas-do-pará;
  • Zinco: que pode ser encontrado em proteínas como carne de vaca, frango, peru e ostras e também em sementes como a linhaça e as amêndoas;
  • Utilização de óculos escuros e de grau com proteção a raios UV mesmo no inverno.

Texto: Edgard Vicentini/Colaborador

Consultoria: Fernando Wanna Pereira, oftalmologista da Clinica Fares (SP)

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.