ESTILO DE VIDA

Preconceito aumenta em quatro vezes o risco de ansiedade

Pesquisa da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) mostra que vítimas de preconceito e discriminação possuem 4,4 vezes mais chances de desenvolverem distúrbios mentais, como ansiedade e depressão.

None
Imagem: iStock/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 22/07/2016 às 08:00
Atualizado às 21:02

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Além de crime, o preconceito e a descriminação poderiam passar a serem vistos como tema de saúde pública. O pretexto para isso é uma pesquisa realizada com estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis (SC).

O estudo, que entrevistou os alunos da unidade sobre intolerância e transtornos psíquicos, apontou que pessoas que passam por esse tipo de situação têm 4,4 vezes mais chances de apresentarem distúrbios, como ansiedade e depressão, além de, a longo prazo, desenvolverem o quadro de hipertensão.

preconceito

Imagem: iStock/Getty Images

A causa disso seria o excesso de liberação de hormônios relacionados ao estresse, como o cortisol e a adrenalina, em momentos de intolerância. Esses hormônios, em grandes escalas, afetam diretamente a pressão arterial.

Além de fazer mal à pessoa alvo da intolerância, o preconceituoso também pode sofrer reflexos negativos da atitude. Tudo devido ao intenso estresse interno que o indivíduo que comete as ofensas se submete.

O estudo contou com a participação de 1.023 estudantes de diversos cursos da universidade. Nele, os alunos responderam a um questionário sobre que abordava temas como o aspecto socioeconômico, o local de residência, experiências relacionadas ao preconceito sofridas ao longo da vida, presença de transtornos psíquicos e algumas informações específicas de cada curso.

Segundo a pesquisa, os cursos que apresentaram as taxas mais altas de distúrbios psíquicos foram pedagogia, história e medicina. Quase metade dos estudantes que enfrentaram episódios de discriminação desses determinados cursos apresentaram alguma alteração psicológica.

VEJA TAMBÉM:

Preconceito contra a mulher no ambiente de trabalho
10 maneiras de controlar a ansiedade
Tristeza ou depressão?

Texto: Augusto Biason/Colaborador