Connect with us

O que você está procurando?

Alto Astral
Você sabia que a poluição sonora contribui para o aparecimento de alguns problemas de saúde? O excesso de barulho pode interferir nas funções fisiológicas!
- Foto: IngramPublishing

Poluição sonora: saiba como ela pode afetar a sua saúde

Você sabia que a poluição sonora contribui para o aparecimento de alguns problemas de saúde? O excesso de barulho pode interferir nas funções fisiológicas!

[PAGE TITLE]

Você corre para escapar do trânsito, buzinas… Chega em casa na esperança de repouso e encontra barulho de aspirador de pó, máquina de lavar, liquidificador… Toma um banho e vai para a cama com a certeza de que ali está o último reduto de silêncio do mundo, mas a gritaria nos bares, os alto-falantes dos carros, as sirenes de viaturas e ambulâncias deixam claro que você não vai descansar. Esses são apenas alguns exemplos da poluição sonora a que somos submetidos diariamente. “O desconforto causado pelos sons pode modificar a qualidade do sono e potencializar o estresse. Se o incômodo for contínuo, o organismo vai somando e acaba estimulando o desenvolvimento de doenças, apresentando consequências na saúde emocional, psicológica e física”, afirma a médica do trabalho Nadja de Sousa Ferreira.

 

Foto: IngramPublishing

Foto: IngramPublishing

Limites sonoros

Tecnicamente, a poluição sonora se caracteriza com a exposição a sons acima de 90 decibéis (dB), durante 8 horas consecutivas, sem proteção auricular, segundo Nadja. Nessas condições e de maneira contínua, a saúde pode ser afetada de modo grave e até irreversível. No entanto, vale ressaltar que a Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que o estresse auditivo tem início sob exposições acima de 55 decibéis. Veja as consequências de acordo com a intensidade dos sons:

• Até 55 decibéis – não causa problemas.
• Entre 56 dB e 75 dB – pode incomodar, mas não gera malefícios à saúde.
• Entre 76 dB e 89 dB – pode afetar a saúde.
• Acima de 90 dB – dependendo do tempo de exposição, a saúde pode ser prejudicada de modo irreversível.

 

infografico-decibeis-poluicao-sonora

Ilustração: Latinstock

Corpo, cabeça e coração

A exposição a ruídos desconfortáveis pode afetar uma pessoa física, psicológica e emocionalmente, prejudicando o convívio social, o desempenho no trabalho e até o funcionamento do organismo. Saiba como isso acontece:

Corpo: a poluição sonora pode elevar o ritmo cardíaco, a pressão sanguínea e as contrações musculares; aumentar os níveis de glicose (podendo desencadear o diabetes tipo 2); prejudicar a circulação do sangue (gerando eventuais infarto, derrame e impotência sexual); interromper a digestão, a produção de suco gástrico e o fluxo de saliva; gerar dores de cabeça e náuseas; entre outros.

Cabeça e coração: perda de concentração, irritação permanente, diminuição dos reflexos, desânimo, redução do apetite sexual, fadiga mental, insônia, ansiedade, depressão, tensão e medo são alguns dos distúrbios emocionais e psicológicos.

Hormônios e tratamentos

A sonoridade do dia a dia interfere diretamente na produção de hormônios, aumentando as doses de adrenalina e cortisol, substâncias relacionadas ao estresse. “Por isso os jovens, que já têm muitos hormônios, aceitam bem sons altos sem se estressar, ou seja, esses hormônios que surgem com a poluição sonora não interferem na carga hormonal deles. Por outro lado, os idosos tendem a ser mais intolerantes a barulhos, pois os sons afetam significativamente sua carga hormonal”, esclarece a médica. Sem dúvida a melhor solução para o problema é evitar situações de exposição a ruídos. Mas como isso quase sempre é inviável, existem outras maneiras de combater a fadiga e o estresse causados pela poluição sonora. A principal delas é fazer a reposição do aminoácido arginina, tanto através de medicamentos como pela alimentação. Laticínios, aves e peixes são ótimas fontes de arginina. Momentos de lazer em parques, campos e praias também podem auxiliar na “desintoxicação” física e emocional, bem como a prática de yoga, caminhadas e ginástica.

 

Texto: Redação Alto Astral

Consultoria: Nadja de Sousa Ferreira, médica do trabalho

 

LEIA TAMBÉM:

Advertisement
Advertisement

Mais notícias interessantes como essa

Estilo de vida

Na hora das refeições é importante pensar nas combinações de seus pratos. Por isso, aposte na junção de alimentos e deixe seus pratos mais saudáveis!

Estilo de vida

Rica em agentes antioxidantes, a lasanha de berinjela a seguir contém ingredientes de baixa caloria que são grandes aliados da sua saúde!

Estilo de vida

Na hora de dormir não deixe os problemas do dia a dia fazerem seu sono escapar! Entenda a importância desse momento e afaste a insônia e outros distúrbios!

Estilo de vida

Chegou a hora de esclarecer as principais dúvidas sobre a tireoide e os distúrbios que afetam a glândula, a fim de proteger a saúde ao máximo!

Estilo de vida

Protetor solar, limpeza diária, boa alimentação: cuidados importantes em qualquer idade, evitam problemas e diminuem os efeitos do envelhecimento!

Estilo de vida

A hipertensão, que geralmente ocorre no último trimestre da gestação, pode comprometer a saúde da mãe e do bebê. Por isso, deve ser tratada!

Estilo de vida

Por mais avanços que a ciência busque para impedir o envelhecimento, é impossível parar no tempo. Mas tem como driblar os sinais da idade!

Estilo de vida

Quando uma pessoa apresenta problemas com fundo psicológico, como é o caso do transtorno bipolar, a psicoterapia pode trazer benefícios para o paciente