Plano de saúde: 3 dicas práticas para utilizá-lo melhor!

O plano de saúde é utilizado por muitos brasileiros, mas também é fonte de diversas reclamações. Conheça dicas para utilizá-lo melhor e evitar dor de cabeça

None
Antes de assinar qualquer coisa ou decidir onde realizar os procedimentos médicos, tire todas as suas dúvidas! FOTO PureStock

por Redação Alto Astral
Publicado em 29/09/2017 às 13:53
Atualizado às 14:27

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Sabia que quase 50 milhões de pessoas utilizam plano de saúde no Brasil? Contudo, ainda segundo informações da Agência Nacional de Saúde (ANS), alguns problemas na cobertura e a falta de informação acabam dificultando a vida de quem depende dos convênios. Por isso, o cardiologista Anis Mitri e CEO do CECAM (rede de clínicas conveniada a mais de 40 planos de saúde e que disponibiliza atendimento humanizado aos seus pacientes) ensina três dicas práticas para que o paciente consiga utilizar melhor do seu plano de saúde.

1. Possibilidade de reembolso

Muitas pessoas não têm ideia de que podem utilizar a chamada Livre Escolha, ou seja, o usuário pode escolher os especialistas, clínicas e laboratórios de exame de acordo com a sua preferência, mesmo que eles não atendam ao seu plano de saúde. Nesses casos, o paciente pode pagar pelo serviço e depois solicitar o reembolso ao plano de saúde apresentando a nota fiscal.

“Os reembolsos têm, em média, um valor de R$120,00 e demoram até 45 dias para serem compensados. Por esse motivo, muitas clínicas aceitam o pagamento com cheques pré-datados ou emitem boletos datados para o período do reembolso e reduzem o valor da consulta para que o custo seja totalmente absorvido pelo convênio”, explica o gestor do CECAM.

É possível evitar problemas com o plano de saúde seguindo dicas simples e práticas.

É possível evitar problemas com o plano de saúde seguindo dicas simples e práticas. FOTO Shutterstock

2. Atenção à guia antes de assinar

A guia do plano de saúde é o documento em que o médico registra todos os procedimentos e exames pelos quais o paciente foi submetido. De acordo com o especialista, é preciso ter atenção redobrada ao assinar o documento, conferindo se todos os procedimentos listados estão de acordo com o atendimento prestado.

Um alerta importante: o usuário nunca deve assinar a guia em branco. Afinal, ao assinar esse documento o paciente está afirmando que irá pagar – por meio do seu plano – por todos os procedimentos ali listados.

3. Certifique-se sobre a carência

Segundo informações da Agência Nacional da Saúde Suplementar, o prazo máximo de carência que pode ser praticado pelos convênios é de 24 horas para emergências, dois anos para doenças que foram diagnosticadas antes da contratação do plano, seis meses para outros tipos de procedimento e 300 dias para parto. Portanto, é preciso conferir qual o prazo estipulado com base na sua contratação.

Consultoria Anis Mitri, cardiologista e CEO do CECAM (rede de clínicas conveniada a mais de 40 planos de saúde e que disponibiliza atendimento humanizado aos seus pacientes)

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.