ESTILO DE VIDA

Pimenta: alimento ardidinho que emagrece!

Aumenta o gasto calórico, melhora a sensação de saciedade e favorece o bem-estar. Descubra o que mais a pimenta pode fazer pela sua silhueta e sua saúde!

None
Foto: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 15/09/2016 às 19:26
Atualizado às 12:25

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Algumas gotas de molho de pimenta ou 1/2 colher (chá) de pimenta fresca, três vezes por semana: essa é a receita que, incluída em uma dieta saudável, pode turbinar a perda de peso. Pesquisa da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, mostrou que a capsaicina, um dos principais compostos das pimentas, especialmente das mais ardidas, reduz o apetite e aumenta o gasto de calorias. Substância que dá a característica picante às pimentas, a capsaicina é considerada termogênica. Portanto, acrescentar esse tempero aos pratos aumenta o gasto calórico, favorecendo a perda de peso. “Refeições apimentadas também estimulam a saciedade”, complementa a nutricionista Lilian Speziali.

pimenta verde e vermelha cortadas

Foto: iStock.com/Getty Images

Muito mais saúde com pimenta

Favorecer o emagrecimento é apenas um dos benefícios desse alimento picante, que protege a saúde em muitos aspectos. Confira!

Tem ação anticoagulante. “Previne tromboembolismo, ocasionado por coágulos que obstruem os vasos sanguíneos”, explica Tamara Mazaracki, médica nutróloga e ortomolecular.

É anticancerígena. Reduz o risco de desenvolver câncer de pâncreas e de próstata, já que contém licopeno, substância antioxidante que dá o tom avermelhado ao alimento.

Age contra o envelhecimento. “É rica em vitaminas A, C e E, potentes antioxidantes que combatem os radicais livres”, afirma Lilian.

É analgésica. Consumir pequenas quantidades ajuda no tratamento da enxaqueca.

SAIBA MAIS

Qual grupo alimentar não pode faltar na dieta?

Conquiste a barriga zero sem sacrifício

10 motivos para você começar a amar dieta

Sensação boa

Perder peso também depende de se sentir bem durante o dia, já que a ansiedade é uma das culpadas pela compulsão alimentar. E a pimenta é uma aliada quando o assunto é bem-estar. Afastando a ansiedade, fica muito mais fácil controlar o que e quanto é posto no prato. “A capsaicina ativa os receptores da língua, que transmitem ao cérebro uma mensagem básica: a de que a boca estaria pegando fogo. O organismo, para tentar amenizar a situação, lança endorfinas na corrente sanguínea, hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar. Também libera adrenalina, que melhora o ânimo, prevenindo a depressão”, revela Lilian.

Quanto consumir?

É preciso moderação, pois o excesso prejudica os sensores do paladar, o que, com o tempo, pode dificultar a identificação dos sabores. “Algumas gotas da versão líquida, ou uma pitada da versão em pó, desidratada, ou ainda 1/2 colher (chá) de pimenta fresca é o ideal”, recomenda Tamara.

Texto: Marisa Sei/Colaboradora | Consultoria: Lilian Speziali, nutricionista; Tamara Mazaracki, médica ortomolecular e nutróloga