Pilates para crianças: saúde e diversão para os pequenos!

Saiba como o pilates para crianças auxilia no desenvolvimento infantil, garantindo mais resistência física e aumentando a imunidade

None
Conheça um pouco mais sobre pilates para crianças. FOTO: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 12/09/2017 às 17:00
Atualizado às 17:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quem imagina que o pilates é uma prática exclusiva para adultos está enganado. De acordo com Júnior Balestero, educador físico, também é indicado pilates para crianças, principalmente pela diminuição dos exercícios ao ar livre nessa faixa etária. “Atividade física não só ajuda como é essencial e a criança precisa disso. E se você perceber, dos anos 1980 para cá, o número de crianças obesas é cada vez maior”, acrescenta. Ele ainda avalia que os pequenos ficam cada vez menos resistentes, uma vez que não têm exposição ao sol e menor concentração de anticorpos devido ao estilo de vida sedentário. “Então a atividade física com resistência, no caso de peso ou molas, eu vejo como essencial, primordial para criança e para o desenvolvimento dela”, aponta.

Trabalho correto

Mas a aplicação do pilates para crianças exige cuidados. É preciso respeitar as características de desenvolvimento de cada faixa etária e atender às necessidades delas. “Os exercícios são lúdicos, porque o problema é você conseguir a atenção de uma criança em uma aula, é desafiador, precisa ser uma pessoa que tenha essa especialidade, que goste de trabalhar com criança”, explica Júnior. Para isso, a recomendação é envolver a criança com um trabalho divertido e ao mesmo tempo eficiente. “Então são exercícios com brincadeiras e desafiadores, que ela acaba gostando”, acrescenta.

Lembrando que o acompanhamento de um profissional é indispensável.

Lembrando que o acompanhamento de um profissional é indispensável. FOTO: Guilherme Miranda/Colaborador

Sem contraindicações

Segundo Suely Tambalo, educadora física da CGPA Pilates, não existem contraindicações do pilates para crianças, já que o trabalho é adaptado às necessidades e possibilidades de cada um. “Por se tratar de uma atividade de baixo impacto é bastante segura”, justifica. De acordo com a profissional, a atividade física também pode aumentar a memória de curto prazo, elevar mais rapidamente o nível de criatividade e estimular o crescimento de células cerebrais. Dessa forma, o aprendizado se torna mais fácil e rápido, a disposição aumenta e o nível de estresse diminui. Por isso, “ele vai resgatar o equilíbrio corporal, auxiliar no ajuste muscular e das articulações, fortalecer a musculatura abdominal e do tronco”, afirma Suely.

Idade mínima?

A prática pode começar bem cedo e ser muito prazerosa e divertida. “A partir dos 4 ou 5 anos de idade já é possível introduzir princípios do método, como a percepção do mecanismo da respiração e alguns movimentos naturais, como rolamentos e a imitação de animais”, afirma a educadora física. Já Júnior acrescenta que o Pilates pode começar a trabalhar com a criança desde a gravidez da mãe e também com o recém nascido, de maneira especial.

Perto da mãe!

A mulher já pode começar o exercício a partir de 30 dias após o parto.

A mulher já pode começar o exercício a partir de 30 dias após o parto. FOTO: Shutterstock

Para contemplar quem acabou de dar à luz, mas quer continuar com os exercícios físicos, existe o Baby Pilates. Ele tem como proposta ajudar as mães a recuperarem a boa forma física depois da gravidez, melhorarem a autoestima, estimularem vínculo amoroso com o bebê, e o mais importante, o bebê ter contato pela primeira vez com a prática de exercícios físicos ainda na primeira infância. “Os exercícios são realizados em dupla enquanto a mamãe trabalha os músculos das costas, tríceps e quadríceps, a criança participa e começa a gerar um contato um laço de amor, os movimentos são adaptados de acordo com a idade da criança”, diz Marcella Rossini, fisioterapeuta. Ele pode ser feito a partir de 30 dias após o parto e, dessa forma, a praticante alivia dores nas costas por amamentar e carregar o bebê no colo, fortalece a musculatura da perna, abdômen, costas e a região inferior da pélvis. Também combate o estresse, ajuda na postura correta e emagrece.

Texto: Redação Alto Astral | Consultoria:  Júnior Balestero, educador físico e instrutor de Pilates; Suely Tambalo, educadora física da CGPA Pilates; Marcella Rossini, fisioterapeuta e proprietária da CellaFisio

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.