ESTILO DE VIDA

Pets: confira 6 dicas para cuidar do seu animalzinho no verão!

Os pets também merecem cuidados especiais no verão, afinal eles estão ficam expostos aos perigos dessa estação. Confira a seguir algumas recomendações!

None
Foto: Istock.com/GettyImages

por Redação Alto Astral
Publicado em 01/02/2017 às 12:34
Atualizado às 13:33

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Com as altas temperaturas, ver os pets com a boca aberta, ofegantes, em busca de sombra e água fresca é algo recorrente. “Como não transpiram, os bichinhos trocam calor pela boca e têm maior dificuldade para manter a temperatura corporal. Por isso, as pessoas devem ficar atentas aos cuidados especiais que o verão exige”, alerta a veterinária Camila Lozano.

cachorro

Foto: iStock.com/Getty Images

O número de casos de hipertermia (quando aumenta a temperatura do corpo) costuma crescer nesta época do ano, e os pets obesos e os braquicefálicos (com focinho curto, como as raças bulldog inglês e francês, pug, shih tzu, lhasa apso) são os mais afetados. Entre os sintomas estão febre, desidratação intensa, falta de apetite, vômito, desmaios e convulsões. Confira abaixo 6 dicas da veterinária Camila Lozano:

1 – Evite as queimaduras

Leve os pets para passear em horários alternativos durante o verão, pois o chão quente pode queimar as patinhas. O ideal é antes das 10h ou depois das 16h, quando o piso das calçadas e ruas já não está tão quentes e o sol é mais fraco. Os ferimentos em formato de bolha, rachaduras e feridas podem infeccionar, além de causar dor.

2 – Mantenha a hidratação

Troque com frequência a água da vasilha, para que esteja sempre fresca e disponível, e estimule o pet a beber mais vezes ao dia. Em passeios ou viagens mais longas, não se esqueça de oferecer água. No caso de viagem, mantenha a ventilação do carro e faça paradas para o pet se refrescar. Com apenas 10% de perda de fluidos corporais, eles já podem desidratar.

3 – Cuidado com o câncer de pele

Os bichinhos que ficam em quintais, expostos por muito tempo ao sol, podem desenvolver câncer de pele. Os mais afetados são os de pelagem e pele mais claras, como o pitbull branco, maltês, whippet, staffordshire terrier americano e boxer branco. Vermelhidão na pele e úlceras que não cicatrizam (dermatites solares) são alguns dos sintomas. Por isso, é importante usar filtro solar no focinho, extremidades das orelhas e barriga.

cachorro

FOTO: Istock.com/GettyImages

4 – Prática de esportes

Esportes e exercícios físicos devem ser feitos sempre em horários de calor mais ameno, como no começo da manhã ou no final da tarde. Se o pet está começando, é bom fazer antes um check-up com um veterinário, para descartar problemas cardiorrespiratórios e ortopédicos. As corridas ou caminhadas ao ar livre devem ser feitas de maneira tranquila, para que o momento seja um prazer para o tutor e seu pet. Caso ele goste de nadar, como é o caso do labrador e do golden retriever, é preciso ter cuidado com os ouvidos e com o pelo, secando bem e retirando todo o resíduo de cloro ou de água salgada.

5 – Sombra e água fresca

Para os pets que ficam muito tempo sozinhos no quintal ou na varanda, é importante manter um local fresco, onde não bata sol, para que possam se proteger do calor e das chuvas de verão. O ideal é que tenham opções de sombra para se abrigar, distante dos raios solares, além de um piso frio (como os do banheiro e da cozinha), para deitar esparramado, ajudar a baixar a temperatura e facilitar as trocas de calor.

6 – Contra crise de alergia

A hipersensibilidade à picada de insetos é a causa mais comum das alergias em cães. Por isso, intensifique os cuidados contra picadas de insetos, pulgas e carrapatos, pois as temperaturas altas formam um ambiente ideal para a proliferação deles. Peça orientação ao veterinário para utilizar os produtos mais apropriados para o seu pet.

Leia também: