ESTILO DE VIDA

Personalidade e genética: elas têm relação?

Muita gente se questiona o quanto que a genética influencia em nossa personalidade. Será que elas têm alguma relação? Confira!

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 28/09/2016 às 16:30
Atualizado às 11:39

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Para tentarmos entender até que ponto a genética influencia em nossa personalidade, e também até que ponto outros fatores entram em jogo, devemos levar em consideração as definições: personalidade, que alguns entendem pela união das particularidades significativas de uma pessoa, e genética, que estuda a herança dos genes nos indivíduos.

No entanto, qual a relação entre a genética e a personalidade? Muitos pesquisadores buscam respostas para a maneira pela qual é desenvolvida a personalidade de uma pessoa e a influência da carga genética na definição de algumas individualidades.

Personalidade e genética: elas têm relação?

FOTO: Shutterstock.com

Genética, personalidade e cultura

Diversos fatores de nossa personalidade são herdados geneticamente. No entanto, não pode-se levar em conta apenas a hereditariedade. “Apesar da importância da carga genética, o ser humano não pode ser considerado um punhado de genes, resultando numa máquina programada a agir desta ou daquela forma”, relata Gilda Paoliello, professora do curso de pós–graduação em Psiquiatria do Instituto de Pesquisas Médicas (IPEMED). Da mesma maneira, a professora acredita que o indivíduo não é “um conjunto de reflexos condicionados pela cultura que o rodeia”.

É possível definir a personalidade como a união de ambos os fatores. “Essa construção nos faz genéricos como parte dos humanos, mas singulares em nossa maneira de ser, de sentir e de interagir para fazermos nossas escolhas e desempenharmos nosso papel no mundo. Portanto, muito do que somos é responsabilidade nossa, do que optamos para nós”, complementa.

O processo de construção da personalidade do indivíduo tem início na vida intrauterina e passa pela maneira na qual ele é acolhido no convívio social, a criação, as oportunidades que lhe são oferecidas e as que a própria pessoa irá construir no decorrer de sua vida.

“Podemos definir a personalidade como a organização de várias tendências ou traços, formados a partir dos genes particulares que herdamos, das experiências existenciais específicas e das percepções subjetivas que temos do mundo”, conclui.

LEIA TAMBÉM:

Texto: Vitor Manfio/Colaborador – Edição: Victor Santos
Consultorias: Gilda Paoliello, professora do curso de pós-graduação em Psiquiatria do Instituto de Pesquisas Médicas (IPEMED) e da Residência de Psiquiatria do IPSEMG – Psiquiatra e Psicanalista, em Belo Horizonte (MG); Silvana Nunes Garcia Bormio, professora do curso de psicologia da Universidade Sagrado Coração (USC), em Bauru (SP).