Descubra quais alimentos se completam e protegem a saúde!

Na hora das refeições é importante pensar nas combinações de seus pratos. Por isso, aposte na junção de alimentos e deixe seus pratos mais saudáveis!

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 30/11/2016 às 12:24
Atualizado às 12:50

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Cada vez que você faz uma refeição, coloca à disposição do seu organismo uma gama enorme de nutrientes. Pelo caminho, alguns terão mais facilidade para entrar nas células, enquanto outros encontrarão barreiras para cumprir sua função. Tudo vai depender da forma como vão interagir entre si, e paramelhorar essa relação e potencializar o efeito benéfico dos alimentos, saber combiná-los é essencial.

Alimentos feijão tigela

Foto: Shutterstock

Arroz + feijão

Contra desnutrição

Não é à toa que essa é a combinação mais popular da cozinha brasileira. Sozinha, a dupla dá conta de suprir grande parte dos nutrientes de que precisamos, já que fornece aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que o organismo não produz por conta própria. “Os dois alimentos se completam. O aminoácido que é limitante em um, o outro possui. O arroz é pobre em lisina, presente no feijão. Este, por sua vez, não apresenta a metionina, abundante no arroz”, explica a nutricionista Carolina Viana Marques.

Feijão + suco de laranja

Contra anemia

Além de dar aquela força na digestão das carnes gordas, a laranja ainda ajuda a fixar no organismo todo o ferro consumido em uma bela feijoada. Não só a laranja, mas qualquer alimento rico em vitamina C pode dar uma força a esse nutriente, o que é muito importante na prevenção e combate à anemia. “Na verdade é o ferro do tipo não heme, aquele presente em vegetais e leguminosas, que mais precisa desse recurso para ser melhor absorvido. O que não acontece com o ferro heme que está na carne vermelha”, diz Carolina.

Churrasco + brócolis

Foto: iStock.com/Getty Images

Foto: iStock.com/Getty Images

Contra o câncer

Até a carne vermelha mais magrinha pode se tornar uma ameaça quando vai parar na churrasqueira. “Devido às altas temperaturase ao contato com a fumaça, há um grande acúmulo de compostos conhecidos como nitrosaminas, altamente cancerígeras”, alerta a médica ortomolecular e nutróloga Tamara Mazaracki. Essas substâncias são responsáveis por aquela casquinha crocante que se forma no churrasco. Para amenizar o problema, entra em cena o brócolis. Seus poderosos agentes antioxidantes ajudam o fígado a eliminar com mais facilidade as nitrosaminas, impedindo que parte delas seja absorvida pelo organismo.

Molho de tomate + azeite

Contra doenças cardiovasculares

Pode comer aquela macarronada com menos culpa, já que o consumo de tomate está comprovadamente associado à redução do risco de câncer e doenças cardiovasculares. Tudo por conta da boa ação do licopeno, substância responsável por sua cor avermelhada. A nutricionista Greice Caroline Baggio dá a dica: “Molho de tomate e tomates cozidos são mais protetores, pois o calor libera o licopeno e outros nutrientes. Melhor ainda quando o molho é feito com azeite. Por ser solúvel em gorduras, o licopeno é melhor absorvido pelo organismo”. O azeite também forma parceria de sucesso com alimentos ricos em vitamina K, como folhas verdes, repolho, nabo e gema de ovo. “Gorduras mono e poli-insaturadas permitem que uma quantidade maior dessa vitamina, essencial para a coagulação do sangue, seja incorporada ao organismo”, explica Carolina.

Pão francês + azeite

Contra compulsão alimentar

Comer para parar de comer pode parecer um conselho estranho, mas realmente funciona. “Uma combinação clássica para diminuir a compulsão alimentar é acrescentar à refeição algum tipo de fibra, hortaliça ou gordura boa, sempre que não houver como opção carboidratos de baixo índice glicêmico, como frutas ou a versão integral de pães e arroz”, explica Carolina. Abocanhar um pedaço de pão francês com um fio de azeite extravirgem ou queijo branco antes do almoço pode acabar diminuindo o índice glicêmico da refeição, o que só favorece a saúde.

Índice glicêmico é a velocidade com que o carboidrato é digerido pelo organismo. Quando isso acontece muito rápido (quando o índice é alto), o nível de glicose também sobe rapidamente, favorecendo o acúmulo de gordura, ainda mais no abdômen.

Leite + banana

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Contra osteoporose

Não só com cálcio se fortalece os ossos. Nessa tarefa, o magnésio exerce tarefa importante. Carolina fala por quê: “É o magnésio que fixa o cálcio nos ossos. Já foi detectado que a deficiência desse mineral é mais comum na mulher com osteoporose do que a deficiência de cálcio”. Na proporção ideal, os dois nutrientes podem ser encontrados, por exemplo, em vegetais verde-escuros. Mas quando se trata de leite – um dos maiores representantes do cálcio –, é preciso reforçar a dose de magnésio com alimentos como banana, grãos integrais, farelo de trigo, amêndoas e damasco.

Também existem desvantagens

Ainda que pareçam saudáveis ou inofensivos, alguns hábitos podem atrapalhar o trabalho do organismo de absorver os nutrientes dos alimentos. Tomar chá verde ou café depois das refeições é um deles. Tudo porque a cafeína (presente nas duas bebidas) prejudica a absorção de ferro e vitamina C. Nesse caso, o ideal é esperar duas horas. A mesma regra vale para a mistura de leite com café. Comer presunto com queijo também não é ideal, já que o ferro presente na carne não se dá bem com o cálcio do queijo.

Texto: Redação Alto Astral

Consultoria: Carolina Viana Marques e Greice Caroline Baggio, nutricionistas; Tamara Mazaracki, médica ortomolecular e nutróloga

LEIA TAMBÉM: