Ovo: conheça os mitos e verdades por trás do alimento

Será que o ovo contribui para elevar os níveis de colesterol no organismo? Descubra agora!

None
FOTO: Istock

por Redação Alto Astral
Publicado em 28/10/2016 às 12:25
Atualizado às 11:52

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Ele é tido como uma opção incrível para variar o cardápio. Podendo ser consumido desde o café da manhã até o jantar, não há porque deixar o ovo de fora da dieta! E não é para menos: segundo a Associação Paulista de Avicultura (APA), só no Brasil são produzidos 26 bilhões de ovos de galinha por ano, o que confirma a premissa de que ele compõe a mesa de muita gente, em suas mais variadas formas.

ovos

FOTO: Istock

No entanto, por muito tempo, foi especulado o fato de o alimento estar associado ao aumento do LDL no sangue (popularmente conhecido como colesterol ruim), um dos fatores principais para o desenvolvimento de doenças cardíacas, como infarto, hipertensão, aterosclerose (entupimento das artérias), dentre outras. Mas, de acordo com os especialistas em nutrição, essa afirmação não passa de um mito. 

O que dizem as pesquisas

Frequentemente, novos estudos e testes são divulgados a respeito de toda as áreas da saúde com massividade, inclusive tratando-se da alimentação. A nutróloga e médica ortomolecular Tamara Mazaracki revela alguns deles. “Pesquisas diversas, segundo o JAMA (Jornal da Associação Médica Americana – The Journal of the American Medical Association), mostraram que não há evidências ligando o consumo de ovos ao aumento de risco de doenças cardíacas em homens e mulheres que ingeriram um ovo diário. Já no Journal of the American College of Nutrition October, foi publicado um extenso artigo com os dados de uma conferência sobre nutrição e ovos, em que diversos pesquisadores de várias instituições científicas e universitárias apresentaram trabalhos em relação ao poder nutritivo do ovo e sua ação como alimento funcional, ou seja, um ingrediente indispensável para a manutenção da saúde e para a prevenção de doenças e desnutrição”.

Afinal, o que é colesterol?

Ao realizar exames de rotina, provavelmente você já deve ter se deparado com duas siglas em especial: HDL e LDL. Elas se referem ao colesterol presente no organismo, sendo que cada uma tem uma função diferente. Antes de dar continuidade, é necessário entender quais são os efeitos do colesterol no corpo: ele é fundamental para diversas áreas da saúde, já que faz parte das membranas celulares e pode ser proveniente tanto do próprio organismo quanto da alimentação.

No entanto, existe uma ressalva: o colesterol, por si só, não tem a capacidade de se transportar sozinho pelo sangue. É aí que entram as lipoproteínas, que podem ser de baixa intensidade (LDL) e de alta intensidade (HDL). A primeira é responsável por transportar o colesterol para os tecidos do corpo, podendo afetar diretamente a saúde se tido em excesso. Já a segunda é responsável por transportar o colesterol pelas artérias diretamente ao fígado, onde ele acaba sendo eliminado pelos rins. Por promover uma limpeza especial, ele acaba favorecendo (e muito!) a saúde do coração. Ou seja, o HDL é o “bom” colesterol e o LDL corresponde ao “ruim”.

Verdade ou mito?

Muita gente acredita que, consumindo só a clara do ovo e descartando a gema, fica livre dos efeitos do mau colesterol. No entanto, ambas as partes do alimento são benéficas à saúde e, por isso, não devem ser descartadas! “Um dos maiores absurdos é consumir inúmeras claras e jogar fora as gemas, que é onde se encontra a maioria desses preciosos nutrientes. Por isso, coma sempre o ovo inteiro: a natureza é sábia e é capaz de dosar e combinar de forma adequada os elementos no alimento, no caso o ovo”, acrescenta Tamara.

LEIA MAIS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.