Você sabe de onde vem o soluço? Descubra a seguir e veja dicas para acabar com ele!

Em alguns casos, ele é persistente e gera incômodos. Já em outros, vai embora em poucos minutos. Confira a seguir de onde vem o soluço e como combatê-lo!

None
Se um soluço persistir por muitas horas, é preciso buscar auxílio médico. FOTO: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 19/09/2017 às 15:08
Atualizado às 14:05

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quem é que nunca ficou com raiva de um soluço que não passa de jeito  nenhum? Ele pega de surpresa, e pode ser desencadeado principalmente  quando se come excessivamente ou se ingere líquidos demais,
causando a dilatação do estômago. A seguir, você entende melhor as  causas do incômodo e confere dicas de como acabar com o o incômodo e descobre de onde vem o soluço!

Contração involuntária

O soluço, na verdade, é um espasmo que acontece quando algum nervo  sofre irritação. Essa contração acontece no diafragma ou em demais  músculos do tórax, e o seu ruído tão característico ocorre por que a
glote fecha imediatamente após a contração, e as cordas vocais acabam vibrando.

de onde vem o soluço

Beber água fria e prender a respiração por alguns segundos são técnicas eficazes para se livrar do soluço. FOTO: Shutterstock

Causas do soluço

Ele pode ocorrer por diferentes razões – algumas, inclusive,  desconhecidas. Conheça algumas delas:

  • Cirurgias que foram feitas na região do tórax ou do estômago;
  • Pneumonias ou infecções gastrointestinais;
  • Problemas renais, como insuficiência ou excesso de ureia na corrente sanguínea;
  • Bebidas alcoólicas ingeridas excessivamente;
  • Consumo exagerado em refeições, com a sensação de “estômago cheio”;
  • Falta de cálcio, sódio ou potássio no organismo;
  • Alguns tipos de inflamações na região abdominal ou no sistema respiratório, como pericardite, bronquite, hepatite, entre outras.

Como combater?

Quando o soluço aparece, não é preciso se desesperar! Afinal, geralmente, ele vai embora após alguns minutos. Em demais casos, ele pode até permanecer por dois dias, mas são raros. As técnicas mais utilizadas e eficazes para combater o incômodo é prender a respiração por alguns segundos (10, por exemplo) ou beber água fria. Respirar dentro de um saco de papel também pode solucionar esses casos, já que essa atitude aumenta a quantia de CO2 do sangue, estimulando o nervo vago e acabando com o soluço. É impostante lembrar que, caso ele persista por muito tempo, é preciso buscar um médico e seguir o tratamento recomendado.

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.