Órgãos vestigiais: é possível viver sem eles?

Os órgãos vestigiais são as partes do corpo que já tiveram funções, mas que, com a evolução, não são mais necessários. Será que é possível viver sem eles?

None
Os órgãos do corpo humano têm diferentes funções, mas será que é possível viver sem alguns deles? / Foto Reprodução

por Redação Alto Astral
Publicado em 22/02/2017 às 13:06
Atualizado às 13:30

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Os órgãos vestigiais são as partes do corpo que já tiveram funções, mas que, com a evolução, não são mais necessários e poderiam ser retirados do organismo sem problemas. São, portanto, “vestígios” de uma época anterior. Você já deve ter ouvido, por exemplo, que o apêndice só serve para inflamar. Mas será que essa e outras partes do organismo são mesmo apenas vestigiais ou exercem funções importantes?

Os órgãos vestigiais desempenham funções no corpo, mas é possível viver sem eles

Os órgãos do corpo humano têm diferentes funções, mas será que é possível viver sem alguns deles? / Foto Reprodução

Amídalas

Localizam-se perto da garganta e são visíveis ao abrir a boca. Uma das partes do corpo acusadas injustamente de só servirem para causar problemas e, por isso, sua retirada é uma das cirurgias mais realizadas em crianças no mundo. Na verdade, as amídalas contribuem com as defesas do organismo. “São estruturas produtoras de células que participam da imunidade; a primeira barreira do organismo contra as agressões do ambiente. Sua remoção pode trazer danos ao sistema imunológico e em especial à imunidade local”, destaca a médica Cintia Rodrigues.

Apêndice

Localiza-se no início do intestino grosso, na parte direita da barriga, e tem entre 8cm e 10cm. “É uma projeção do intestino que contém uma série de glândulas, que produzem enzimas e outras substâncias. É mais suscetível a inflamações por ter o formato de uma pequena bolsa, onde pode se acumular material do intestino”, informa o clínico geral. O apêndice ajuda, portanto, na digestão e no equilíbrio da flora intestinal, já que repovoa o intestino com bactérias do bem após uma infecção ou crise de diarreia. Porém, quem teve o apêndice retirado com cirurgia por causa de uma inflamação pode viver normalmente sem essa parte no corpo.

O corpo humano é formado por órgãos de extrema importância e por outros que podem ser retirados

Existem alguns órgãos vestigiais localizados na região do abdome / Foto Shutterstock

Baço

Quietinho ali na região superior e esquerda da cavidade abdominal, o órgão exerce funções importantes. Seu material interior é chamado de polpa e dividido entre branco e vermelho. “Funciona como dois órgãos: a polpa branca faz parte do sistema de defesa (sistema imune) e a polpa vermelha remove os materiais inúteis do sangue (hemácias defeituosas)”, diz Cintia. Pesquisa do Hospital Geral de Massachusetts e da Faculdade de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos, mostrou que o órgão ainda é mais nobre do que se imaginava: ele produz células que ajudam a reparar os tecidos cardíacos lesionados em casos de infarto.

Cóccix

É o osso final da coluna vertebral. “Acredita-se que o osso do cóccix seja o que restou da evolução de uma cauda, quando os homens primitivos se colocaram de pé pela primeira vez. A partir daí, a cauda se tornou desnecessária para o equilíbrio”, revela Luis Fernando. Então ele só serve para fraturar, em quedas? Segundo alguns médicos, não. O cóccix serviria para facilitar o trabalho de parto, pois amplia o canal pélvico. “Também faz parte da proteção das estruturas internas da pelve”, complementa Cintia.

Consultoria Cintia Rodrigues, médica

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.