Conheça o novo tratamento para depressão

O novo tratamento para depressão existe nos EUA desde 2008. A técnica é chamada de Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva (EMTR). Saiba mais

None
Foto: iSock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 30/03/2017 às 11:30
Atualizado às 20:54

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva (EMTR) é o novo tratamento para depressão que acaba de chegar ao Brasil. É uma técnica não invasiva e quase isenta de efeitos adversos. Ela é regulamentada para uso clínico desde 2008 nos EUA e tem eficácia comprovada para casos em que pacientes depressivos não respondem bem aos remédios.

Ainda assim, o tratamento — aprovado também para o alívio de alucinações auditivas causados por esquizofrenia — ainda é desconhecido da maioria dos pacientes. “Em geral, a EMTR é indicada para aquelas depressões que não respondem bem a pelo menos dois ciclos de tratamentos com fármacos. São os casos que a gente chama de depressão resistente ou refratária”, afirma o psiquiatra Leonard Verea, que aplica a técnica em seu consultório.

tratamento para depressão

Foto: iSock Images

Como funciona o novo tratamento para depressão

Na EMTR, a primeira sessão é de avaliação, quando se busca descobrir se o paciente apresenta contraindicações. Os parâmetros são medidos, assim como o cérebro, para localizar a região específica a ser estimulada, que fica marcada em uma touca. Então, são marcadas as sessões. “O paciente chega e veste a touca que vai usar do início ao fim do tratamento. Com isso, é possível posicionar a bobina sempre no mesmo lugar. Tem de estimular sempre o mesmo ponto”, conta Verea.

– Cada sessão pode variar de 15 a 30 minutos. E não há contraindicação para atividades posteriores da pessoa em tratamento, como dirigir, por exemplo. Alguns pacientes podem sentir no início do tratamento um pouco de náusea ou dor de cabeça.

– O tratamento leva, em média, 15 ou 20 sessões consecutivas, depois duas vezes por semana por mais 10 ou 15 sessões, reduzindo até cessar, em torno de seis a nove meses.

– Além da depressão, são pesquisadas mais aplicações na área psiquiátrica, como ação sobre outros sintomas de esquizofrenia, transtornos ansiosos e obsessivo-compulsivos e bipolaridade.

FONTE: Leonard F. Verea, médico psiquiatra especializado em Medicina Psicossomática, Hipnose Dinâmica e no tratamento com Estimulação Eletromagnética Transcraniana

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.