ESTILO DE VIDA

Mundo dos negócios: táticas para vencer a concorrência

Sun Tzu, autor do clássico livro A Arte da Guerra, apresenta táticas de ataque para vencer a concorrência no décimo segundo capítulo da sua obra!

None
Foto: Reprodução/Pixabay

por Redação Alto Astral
Publicado em 23/01/2017 às 08:01
Atualizado às 14:35

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Um dos aspectos fundamentais do campo mercadológico é promover táticas de ataque contra os seus adversários para conseguir sobreviver. E é justamente esse tema que é abordado por Sun Tzu, o autor de A Arte da Guerra, no décimo segundo ensinamento do seu livro.

Monte estratégias e táticas específicas para cada situação, visando um ataque efetivo que trará vantagens para sua empresa e que criará a fidelização de sua clientela. A ideia desses ataques é fazer com que seu adversário fique em desvantagem.

xadrez táticas xeque-mate

Foto: Reprodução/Pixabay

Poder de fogo

Mais especificamente, Sun Tzu destaca o ataque que utiliza o fogo como principal arma de combate. Segundo o autor, na guerra existem cinco modos de atacar com fogo: queimar pessoas, provisões, equipamentos, arsenais e ataques incendiários.

A utilização dessa arma é empregada, principalmente, por seu incrível poder de destruição. O fogo destrói tudo que toca. A água, apesar de isolar os inimigos, não destrói os seus recursos. E isso é o que vai trazer a desvantagem para o inimigo: ele perderá todo o seu arsenal. Um ataque como esse não visa apenas ao dano imediato, ele também objetiva ações a longo prazo. E esse é o diferencial de um bom líder: ele tem que ver além, não ao que está apenas diante de seus olhos.

Porém, esse tipo de tática requer muito cuidado, atenção e estudo. O fogo deve ser manejado com cautela e habilidade, e é preciso que o equipamento necessário esteja sempre à mão. Levando esse conceito para o campo dos negócios, é possível entender que uma empresa deve se preparar com todos os recursos possíveis e reunir o máximo de força disponível para atacar o seu adversário com todo seu poder.

“A estratégia a longo prazo correta pode entrar em conflito com a necessidade de resultados imediatos. Embora uma determinada abordagem estratégica possa parecer lógica no nível conceitual, a empresa pode esgotar seus recursos antes que o plano traga resultados”, comenta Gerald A. Michaelson em Sun Tzu: A Arte da Guerra para Gerentes.

Por isso, há a necessidade de pensar em todas as ações que a empresa fará para verificar se elas são plausíveis, se há condições de mantê-las e quais serão seus efeitos no inimigo e no mercado.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Alto Astral | Edição: Érika Alfaro