ESTILO DE VIDA

Mitos e verdades sobre os conselhos dos nossos vovôs

Não é difícil encontrar alguém que tenha aquele velho palpite sobre algum problema de saúde. Quais têm fundamento? Confira os mitos e verdades!

None
Foto: iStock.com/Getty Images;

por Redação Alto Astral
Publicado em 10/08/2016 às 20:16
Atualizado às 21:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Os principais mitos e verdades sobre os conselhos dos vovôs!

Mulher, branca, morena, linda, com mão no queixo, pensando

Foto: iStock.com/Getty Images;

1. Água com açúcar acalma

Essa é uma crença popular. De acordo com o clínico geral Filippo Pedrinola, adicionar açúcar à água não a torna sedativa. Há quem veja um fundo de verdade nesse mito, pois o açúcar ajudaria na produção do neurotransmissor serotonina, responsável pela sensação de bem-estar.

Mas, Pedrinola indica que vale mais a pena adicionar o açúcar num chá de camomila ou erva-cidreira. Com moderação, claro!

2. Uso excessivo de remédios para dor de cabeça faz o medicamento perder o efeito e a pessoa precisar de remédios mais fortes

No caso da dor de cabeça, analgésicos como dipirona, aspirina e ibuprofeno – alguns dos mais vendidos no Brasil – têm efeito rebote, isso é, quanto mais a pessoa toma, mais dor tem.

Foi publicado um estudo no British Medical Journal mostrando que a ingestão durante 15 dias do mês é suficiente para causar o efeito que pode levar as pessoas a procurarem remédios mais fortes.

3. Beterraba combate a anemia

A anemia é uma condição na qual a pessoa, em geral, tem deficiência de ferro. O mito da beterraba no combate da doença se deve à sua coloração semelhante ao sangue, porém, não contém quase nada de ferro.

4. Bebidas alcoólicas anulam os efeitos de medicamentos

Segundo o clínico geral, não existe uma contraindicação absoluta. O que ocorre é que a maioria dos antibióticos e analgésicos são metabolizados no fígado, assim como o álcool. O que vale mesmo é a moderação.

5. Entrar na piscina após as refeições pode provocar problemas e até levar à morte

Fala-se que entrar na piscina ou no mar depois de comer pode causar congestão, porém isso não passa de um mito.

“Depois que comemos, ocorre dilatação dos vasos sanguíneos do nosso sistema digestivo para favorecer a digestão e a absorção dos nutrientes, mas não chega a ser suficiente para ‘roubar oxigênio do cérebro’ e provocar desmaio”, esclarece o especialista.

Saiba mais:

É verdade que comer carboidratos à noite engorda?

Mais que um tempero: conheça os benefícios do alho-poró na saúde!

Ervas dão sabor às receitas e protegem a saúde

6. Colocar uma faca no galo da testa impede que ele cresça

A afirmação tem um fundo de verdade, porém, o que impede que o hematoma fique maior é o contato com algo frio e não necessariamente a faca.

Por isso, o indicado é colocar uma bolsa de gelo no local. O “galo” para de crescer devido à vasoconstrição, ou seja, o estreitamento das veias e o fluxo de sangue.

7. Café melhora a ressaca

Muitas pessoas pensam que o consumo de café pode ajudar na melhora da ressaca porque a bebida é estimulante. Mas esse pensamento não tem nenhuma comprovação científica.

O melhor mesmo é dormir e esperar a ressaca passar. E, de acordo com o nível de intoxicação, procurar um médico.

8. Batata na testa e nas têmporas aliviam enxaqueca

Essa tem pinta de conselho furado, mas funciona de verdade! Colocar rodelas geladas de batatas na cabeça aliviam o desconforto da enxaqueca. Isso acontece por causa do estreitamento dos vasos sanguíneos da região, devido ao frio das rodelas.

Mas, assim como no caso da faca no galo, usar bolsas térmicas geladas também surtem o mesmo efeito. Atenção: elas atenuam os sintomas, mas não curam as crises.

9. A margarina é mais saudável que a manteiga

Ambas são feitas com gordura. A diferença é que a manteiga tem origem animal, já a margarina, vegetal. Porém, o processo de produção da segunda produz gordura trans, que é um veneno para a saúde, já que contribui com o aumento do colesterol ruim (LDL) e a redução do bom (HDL).

10. Vitamina C combate gripe e resfriado

Há tempos que a vitamina C vem sendo estudada como possível auxiliar no tratamento e prevenção de resfriados, porém as evidências científicas são inconsistentes.

“O que os pesquisadores encontraram foi que seu principal efeito ocorre em condições extremas, como corredores de maratona. Nesse grupo, diminui o risco de contrair resfriado pela metade”, explica Pedrinola.

Em geral, a ingestão de vitamina C é suficiente quando se consome frutas e vegetais regularmente. O uso de suplementos também é seguro e a recomendação é de 90mg para homens e 75mg para mulheres por dia.

Consultoria Filippo Pedrinola, clínico geral