Conheça os benefícios do mindfulness e aprenda a praticar

A meditação, em especial o mindfulness, ajuda a melhorar a ansiedade e concentração e se baseia na atenção plena. Conheça todos os benefícios dessa prática!

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 08/12/2016 às 13:33
Atualizado às 12:55

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Vários benefícios estão associados à prática de meditação, pessoas com transtornos de estresse e ansiedade são algumas das que obtêm vantagens com a prática. Além disso, melhora o sono, aumenta a concentração, a serenidade e o bem-estar.

Conheça os benefícios do mindfulness e aprenda a praticar

Foto: Shutterstock

Benefícios para mente

A prática regular de meditação promove uma melhora na qualidade do sono, inclusive quando o assunto é insônia. Pode contribuir para a diminuição da quantidade de remédios, em especial, os utilizados para ansiedade e distúrbios do sono. Qualquer pessoa pode praticar, mesmo sozinha. Porém o recomendável, para maior efetividade, é a prática em grupos.

Mindfulness

Pode ser traduzida como atenção plena e trata-se de um tipo diferente de meditação. Munhoz explica que esse método envolve práticas como a observação imparcial do momento presente, “As origens desta prática estão no budismo. É possível dizer que o mindfulness é uma adaptação da meditação budista Vipassana, pela qual se aprende a estar mais consciente da respiração, com atenção e aceitação das emoções, pensamentos e sensações que ocorrem no presente, sem nenhum julgamento”, explica o psicólogo.

No corpo inteiro

Não são só nos distúrbios emocionais que a meditação, em especial o mindfulness, atua. A depressão, o estresse e a ansiedade geram problemas físicos e essa técnica age contra eles. Uma das vantagens é a elevação do nível de serotonina, hormônio responsável pelo bem-estar. A circulação sanguínea também é beneficiada pela prática. “O estado estressado, produto do nervosismo sem autocontrole, conduz o organismo ao estado de defesa, o que inclui uma tendência a circulação fora de equilíbrio, que limita a chegada de nutrientes aos tecidos. O mindfulness libera os vasos sanguíneos desta apreensão e faz com que a circulação seja restaurada aos níveis ideais”, diz o neurologista Martin Portner.

Pratique!

O mindfulness pode desempenhar um papel importante quando há a chamada ruminação dos pensamentos. “É importante entender que a ruminação é aquele turbilhão incontrolável de pensamentos negativos e trata-se de um processo cognitivo que ocorre na iniciação e manutenção de episódios depressivos e ansiosos. Ao tentar o mindfulness, é possível minimizar esses episódios”, alerta Munhoz.

Em qualquer lugar

Para praticar, não é preciso de uma posição especial ou mantras. É possível tentar no trabalho e se reequilibrar. Siga os passos:

1- Foque a atenção na sua respiração, observe as sensações do seu corpo quando inspira e quando expira. Perceba o ar entrando e saindo pelas narinas, ou identifique o movimento da respiração no seu abdome, sem julgamento, com calma.

2- Sinta as sensações corporais que ocorrem nesse momento: tensões musculares, dores, qualquer sensação e não tente modificá-la, apenas observe.

3- Traga a sua atenção ao seu corpo, às sensações e como você está as experimentando. Conecte-se com elas, perceba com atenção plena, sem julgar ou comentar internamente, esse momento.

LEIA TAMBÉM:

Consultoria: Fábio Munhoz, psicólogo e Martir Portner, neurologista