ESTILO DE VIDA

Conheça os milagres do grão-de-bico para a saúde!

Você sabia que o grão-de-bico é uma leguminosa antiestresse? Ele é rico em triptofano, um aminoácido responsável pela produção de serotonina!

None
Foto: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 15/12/2016 às 12:58
Atualizado às 16:04

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O grão-de-bico é um dos vegetais mais ricos em triptofano, o aminoácido precursor da serotonina. Esse neurotransmissor é responsável por regular a fome, o sono e ainda dá sensação de relaxamento e confiança. Não é à toa que a falta de serotonina está associada a muitos casos de depressão. O grão também é fonte de proteínas, necessárias para a formação e manutenção de todos os tecidos do corpo, de hormônios e para a definição dos músculos. É, portanto, uma ótima opção para quem é vegetariano.

Grão de bico pote embalagem

Foto: iStock.com/Getty Images

Além de tudo isso, o alimento é fonte de fibras. “O consumo diário de fibras beneficia o trato gastrointestinal, já que estimula a mastigação prolongada e a produção de saliva, retarda o esvaziamento gástrico, aumenta a saciedade e a velocidade do trânsito intestinal. Uma refeição rica em fibras tem mais volume, portanto promove maior saciedade”, explica a nutricionista Elaine Pádua. Ponto extra para o bom humor, já que, para isso, é preciso que o intestino funcione corretamente. A prisão de ventre é capaz de piorar a irritabilidade e a ansiedade, além de enfraquecer o sistema imunológico e causar inchaço. Uma concha de grão-de-bico por dia, alternando com outras leguminosas durante a semana, é o indicado para obter todos esses benefícios.

Variando o cardápio

O alívio de ansiedade e estresse chega mesmo intercalando o consumo de grão-de-bico com outros alimentos, já que as leguminosas como feijão (dos mais variados tipos) e lentilha também exercem papel calmante. “O feijão, além de ajudar na depressão, também já foi associado à diminuição de doenças como diabetes, problemas cardiovasculares e tumores. O alimento é rico em fibras, ferro, cálcio, vitaminas do complexo B, carboidratos e fibras”, lista a nutricionista Thaíz Maia. Junto com o arroz (de preferência integral), fornece uma combinação de aminoácidos que só é encontrada em alimentos de origem animal – é um prato, tipicamente brasileiro, bastante nutritivo, portanto.

Já a lentilha, além das vitaminas do complexo B, que ajudam o sistema nervoso a funcionar direito, possui ferro, sendo outra boa opção para quem não come carne. Por ser fonte de ferro não-heme, o tipo menos absorvido pelo organismo, o recomendado é consumir o alimento com uma fonte de vitamina C, que melhora a absorção. Frutas como limão e laranja e legumes como cenoura e tomate possuem o nutriente.

Outras opções

Sementes linhaça mesa

Foto: Shutterstock

Além dos grãos, algumas sementes contribuem para amenizar sintomas de ansiedade, estresse e depressão. Uma delas é o gergelim, que é fonte de vitamina B6 e vitamina E, que age como antioxidante. Ainda é fonte de cálcio, mineral indispensável para o fortalecimento dos ossos e consequente prevenção da osteoporose. A linhaça é fonte de ômega-3, um ácido graxo diretamente envolvido com a produção de diversos neurotransmissores como serotonina, dopamina e noradrenalina, responsáveis pela sensação de bem-estar. Consuma até duas colheres (sopa) por dia, salpicada em iogurtes, frutas ou batida em sucos naturais.

Texto: Redação Alto Astral

Consultoria: Elaine Pádua e Thaíz Maia, nutricionistas

LEIA TAMBÉM: