ESTILO DE VIDA

Meditação e prática esportiva: aliados contra a depressão

Opções como a prática de esportes e meditação são grandes aliadas na luta contra a depressão. Veja os benefícios dessas atividades para o corpo e a mente.

None
Foto: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 23/08/2016 às 10:30
Atualizado às 20:59

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quando uma pessoa recebe o diagnóstico de depressão, logo passa por sua mente e de seus familiares as consultas com psicólogos, médicos e outros profissionais ligados ao tratamento da saúde mental. Não que isso esteja incorreto, muito pelo contrário: o acompanhamento com esses especialistas é fundamental para ajudar a superar o distúrbio.

Contudo, outras técnicas menos associadas ao controle do transtorno possuem potencial para aliviar os sintomas e mudar a postura, o pensamento e o comportamento dos pacientes.

Meditação

Essa técnica vem sendo cada vez mais usada de forma complementar ao tratamento médico. “Na meditação, utilizamos a respiração como uma viga mestra. Quando oxigenamos as células nervosas, há uma alteração no humor que nos faz sair do estado de inércia para uma maior proatividade”, explica a terapeuta especialista em meditação Nara Louzada.

Meditação

Foto: Shutterstock Images

Por meio desse procedimento, é possível estimular nosso cérebro para transformar a interpretação de situações do dia a dia. “A meditação atua na parte frontal do cérebro, onde se situam a atenção e o foco, além de trabalhar o sistema límbico, responsável pelas questões emocionais”, descreve Nara.

A profissional também aponta algumas dicas para desenvolver essa prática após algumas consultas ou, até mesmo, para quem deseja investir na meditação:

  • “Pouco a pouco, pode ser feita pela própria pessoa, sem auxílio de ninguém, durante cinco minutos diários”;
  • “Utilize técnicas de substituição de sentimentos opostos. Por exemplo: inspirar entusiasmo e expirar desânimo; ou inspirar alegria e expirar tristeza”;
  • “A meditação costuma ter muito êxito no tratamento, mas o ideal sempre é prevenir, praticando-a antes que a doença se instale”.

Atividades físicas

O tempo todo nós somos lembrados do quanto é importante praticar esportes. Além de ser uma importante atitude na busca por uma vida mais saudável, essa prática pode trazer vantagens na luta contra a depressão — especialmente pelo fato de ajudar na maior liberação de endorfina.

“A endorfina é um hormônio produzido pela glândula hipófise e promove no organismo efeito analgésico, de bem-estar, melhora do humor e alegria”, descreve o ortopedista Mauro Olívio Martinelli. “Por ser liberada após atividades físicas e, por conta dos seus efeitos, pode ajudar no combate à depressão”.

De acordo com o médico, alguns estudos indicam que atividades físicas aeróbicas como caminhadas, corridas, andar de bicicleta e nadar liberam maiores níveis de endorfina.

Assim, com o acompanhamento de um profissional especializado, é possível consolidar uma regularidade na prática de esportes que, além de ajudar a superar o transtorno, pode colaborar para melhoras em áreas como memória, aprendizado, humor, disposição, sono e autoestima.

Meditação + esportes

Uma pesquisa recente da Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos, analisou 52 pessoas e concluiu que meditar antes de praticar atividades físicas reduziu a intensidade dos sintomas de quem tinha depressão em 40%. As principais alterações identificadas foram no córtex pré-frontal (responsável pelo foco e pela atenção) e no hipocampo (ligado à memória e à aprendizagem). Antes dos testes, ambas as regiões apresentavam alterações na comunicação entre as células, e até um tamanho reduzido. Após as avaliações, notou-se que as áreas estavam próximas do que é considerado ideal e saudável.

Veja mais:

7 dicas para começar a praticar meditação

Meditação: conheça alguns tipos e escolha o seu preferido!

O lado bom da depressão

Consultorias: Mauro Olívio Martinelli, ortopedista; Nara Louzada, assistente social e terapeuta especialista em meditação.

Texto: Victor Santos e Vitor Manfio/Colaborador – Entrevistas: Ricardo Piccinato – Edição: Augusto Biason/Colaborador