ESTILO DE VIDA

Conheça os maus hábitos que podem desencadear o aneurisma

Saiba quais maus hábitos podem desencadear o aneurisma e saiba de que maneira é possível agir na prevenção dessa doença perigosa!

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/11/2016 às 11:44
Atualizado às 11:56

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O aneurisma surge, basicamente, quando há uma região enfraquecida na parede de um vaso sanguíneo, podendo existir no paciente desde o seu nascimento ou se desenvolver com o decorrer do tempo, quando um vaso sanguíneo sofre uma lesão. Porém, tanto em um quanto no outro caso, existe uma série de fatores de risco que pode influenciar na hora do desenvolvimento da doença. Confira agora alguns dos principais comportamentos que podem trazer impactos negativos na saúde de um indivíduo, de modo a desenvolver a doença.

Cigarro vício aneurisma

Foto: Shutterstock

Dependência química

O vício em drogas, lícitas ou ilícitas, é certamente a causa de uma série de problemas sérios à saúde, e o abandono do consumo desses itens é a melhor medida a ser tomada. Para o caso do tabagismo, existem alguns medicamentos, como pastilhas, adesivos e sprays de nicotina, utilizados para substituir o vício e trazer uma sensação de saciedade ao paciente. Acompanhamento médico e psicológico são muito importantes para quem quer abandonar o cigarro, mas se fazem ainda mais essenciais na rotina de quem deseja deixar o consumo de drogas ilícitas, principalmente a cocaína, que traz graves complicações cardiovasculares em pouco tempo. O apoio da família também deve ser fundamental.

Cocaína dependência química

Foto: iStock.com/Getty Images

Alcoolismo

O consumo moderado de bebida alcoólica é uma prática comum na rotina de jovens e adultos, especialmente em festas e fins de semana, e se consumida com responsabilidade, não traz graves complicações, mas quando há a presença do abuso no consumo ou da necessidade frequente de beber, o problema pode ser relacionado à dependência. Nesses casos, é necessária intervenção médica, de modo a evitar uma série de doenças, como cirrose hepática, câncer, infarto, hipertensão e aneurisma.

Cerveja garrafa cubos de gelo

Foto: Shutterstock

Predisposição genética

Segundo pesquisas, até 15% dos pacientes que sofrem com o aneurisma já possuem um histórico de pessoas com a mesma doença na família. Nesses casos, como já existe um perigo prévio, o ideal é manter bons hábitos e evitar outros fatores de risco que podem ajudar a desencadear a doença, como lista o neurologista Manoel Carlos Taveiros Mendes: “Diabetes mellitus ou taxa elevada e persistente de glicose no sangue, hipertensão arterial sistêmica ou pressão alta, elevação dos níveis de gordura no sangue (colesterol alto), tabagismo, alcoolismo, drogas como cocaína e crack, infecções, baixa de hormônios na menopausa”. Além disso, visitar um médico de confiança para exames de rotina com certa frequência é uma medida sempre aconselhável.

Ferimento na cabeça

Sempre que uma pessoa sofre um acidente, por menor que seja, como um tombo, o ideal é lembrar de tentar proteger a cabeça. Quando se faz um ferimento na região craniana, é indispensável a visita a um médico para constatar se a lesão não causou complicações mais sérias ao indivíduo. Por isso, o uso de capacete na hora de dirigir motos e bicicletas é sempre indispensável.

mulher morena duas maos cabeca abaixada

FOTO: Shutterstock.com

Arteriosclerose

Esse problema é caracterizado pelo depósito de gordura, cálcio e outros elementos na parede das artérias, promovendo um déficit sanguíneo aos tecidos irrigados por elas. Desenvolve-se de maneira lenta e progressiva, sendo necessário uma obstrução arterial significativa. Essa doença sistêmica, que agride as artérias, deve ser tratada assim que descoberta.

Infecção sanguínea

As infecções que surgem nos vasos sanguíneos podem trazer, por si só, complicações para os pacientes, podendo evoluir para o infarto agudo do miocárdio e também para o aneurisma da aorta.

Texto: Redação Alto Astral

Consultoria: Manoel Carlos Taveiros Mendes, neurologista

LEIA TAMBÉM: