Livre de glúten: sem essa proteína, emagrecer pode ser mais fácil!

Tirar o glúten da sua dieta pode parecer uma tarefa difícil, mas a variedade de alimentos sem essa proteína é enorme. Saiba mais!

None
Foto: iStock.com/Gettu Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 13/03/2017 às 19:39
Atualizado às 12:17

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Comeu pão e a barriga inchou? Livre-se do glúten! Este é um sintoma de sensibilidade ao glúten, segundo a nutróloga Tamara Mazaracki. “Alguns autores citam que, provavelmente, todos nós podemos ter algum grau de sensibilidade ao glúten, em maior ou menor grau”, aponta. Além disso, essa proteína de difícil digestão pode levar ao acúmulo de gordura, alterar a função intestinal, produzir gases e deixar a barriga inchada.
foto de grãos sem glúten

Foto: iStock.com/Getty Images

Inimigo da dieta?

Uma dieta livre de glúten tem sido apontada como aliada para o emagrecimento e, principalmente, para quem quer combater a barriga estufada. Isso porque a proteína de origem vegetal é matéria-prima de produtos altamente calóricos, como pães, massas e bolos. Alguns estudos sugerem que o glúten dificulta o uso da gordura pelo organismo como forma de energia, contribuindo para o seu acúmulo na região da barriga, mas ainda há controvérsias por parte dos especialistas quando se fala em perda de peso. Em todo o caso, seu consumo prejudica a digestão, causa inchaço abdominal, reduz o metabolismo e a produção de serotonina (hormônio responsável pela sensação de bem-estar), atrapalha o bom funcionamento do intestino, prejudicando, portanto, quem está na briga contra a balança.

carnes cruas estão em uma dieta sem glúten

Foto: Shutterstock.com

Mais saúde

Os benefícios de tirar o glúten do cardápio podem ser percebidos não só pelos celíacos (portadores da doença autoimune desencadeada pela ingestão de glúten), mas por qualquer pessoa. “Eliminar o glúten da dieta provoca a redução no grau de inflamação do organismo. Assim, o metabolismo volta a funcionar normalmente, o que promove a diminuição da retenção de líquidos, perda drástica e rápida de peso, correta absorção dos nutrientes pelo intestino e prevenção de doenças, como a obesidade e complicações cardiovasculares”, afirma a nutricionista Amanda Matos.

Dieta sem glúten

CEREAIS: arroz, milho, quinoa, amaranto, trigo sarraceno
FARINHAS E FÉCULAS: farinha de arroz, amido de milho (tipo maisena), fubá, farinha de mandioca, fécula de batata, farinha de soja, polvilho, flocos de arroz e milho.
MASSAS: feitas com as farinhas permitidas;
VERDURAS, FRUTAS E LEGUMES: todos, crus ou cozidos;
LATICÍNIOS: leite, manteiga, queijos e derivados;
GORDURAS: óleos e azeites;
CARNES: bovina, suína, frango, peixes, ovos e frutos do mar;
GRÃOS: feijão, lentilha, ervilha, grão-de-bico, soja;
SEMENTES OLEAGINOSAS: nozes, amêndoas, amendoim, caju, avelãs, macadâmias, linhaça, gergelim e abóbora.

Texto: Redação Alto Astral | Consultoria: Amanda Matos, nutricionista da Clínica Athos, athosbemestar.com.br; Tamara Mazaracki, nutróloga e médica ortomolecular, www.tamaramazaracki.med.br 

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.