Lisboa, a eterna capital mágica de Portugal

Lisboa é conhecida por deixar nos turistas uma sensação mágica e um desejo de retornar logo para lá. A milenar cidade irá te surpreender!

None
Visitar Lisboa é encontrar o antigo e o moderno lado a lado. Foto: Wikimedia Commons

por Redação Alto Astral
Publicado em 23/08/2017 às 16:24
Atualizado às 14:14

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Um bom passeio por Lisboa começa no exato momento que você coloca os pés na cidade. Não importa por onde comece, há sempre algo de muito interessante a ser conhecido. E o melhor: há para todos os gostos. Se o que deseja é algo mais cultural, prepare-se para pisar em milhares de anos de história e se perder entre museus e monumentos. Mas se gosta de diversões noturnas e da modernidade, saiba que a cidade é uma das mais antenadas da Europa. Há dezenas de casas de fado e opções para todos os gostos musicais em café-teatros, casas de shows e nightclubs. Para completar, como em todas as capitais da Comunidade Europeia, o futuro está presente pelas ruas da cidade. Com tantas opções, Lisboa está definitivamente entre os principais destinos europeus.

Passado de Lisboa

Diz a lenda que Lisboa foi fundada por Ulisses, o herói grego da Odisseia. No entanto, o mais aceito pelos historiadores é que tudo tenha começado quando os Fenícios se estabeleceram na região, por volta do século VIII a.C. Seja como for, Lisboa tem muita história. E o melhor é que as provas desse passado estão presentes em diversos pontos, como a belíssima Praça da Figueira, datada do séc. XIX. Próxima da Estação do Rossio, naquela época, ficava o mercado da cidade. Hoje, existem lojas, hotéis e cafés e, no centro está a estátua do Rei João I.

fotografia da Torre de Belém, em Lisboa.

Torre de Belém: um dos monumentos mais importantes de Lisboa. Foto: Wikimedia Commons

Alfama

Ao caminhar pelas ruas estreitas do típico bairro Alfama, o turista é levado aos tempos da ocupação árabe (de 714 a 1147), que tantas marcas deixou no povo português. São inúmeras surpresas, e um contato quase íntimo com o que há de mais tradicional entre os lisboetas. Não se preocupe com a possível sensação de estar em um labirinto. O melhor dessa parte do passeio é mesmo sentir-se perdido.

Não deixe de visitar o Castelo de São Jorge que, mesmo após inúmeras reformas, mantém partes originais construídas no século V. A imponente obra fica no alto de uma colina e domina a paisagem. De seus muros tem-se uma visão panorâmica inigualável de Lisboa. De tão belo, dá vontade de percorrer todas as instalações novamente e, no final, ficar apreciando o céu azul-celeste da capital portuguesa.

Ali bem próximo fica o Museu do Teatro Romano, um conjunto de achados arqueológicos e ruínas que atestam a presença na região de um dos mais duradouros impérios da história. Não muito longe dali, a Catedral da Sé é outro ponto obrigatório de visita. Com suas torres que lembram um castelo medieval, a construção é do séc. XII e abriga valiosos tesouros religiosos.

Visite também o Museu das Artes Decorativas, Campo de Santa Clara (em dias de feira), a Casa dos Bicos, Museu e Casa do Fado e as igrejas de Santa Luzia, Santo Antônio, Santa Engrácia e Nossa Senhora da Conceição Velha. A história contida em cada um desses destinos é fantástica e vale cada minuto ali. Para finalizar, assista a um espetáculo no Teatro Nacional Dona Maria II, pertinho da Praça do Rossio. Caso não tenha apresentação teatral, vá conhecer as instalações do local, que foi inaugurado em abril de 1846, em comemoração aos 27 anos de Maria II, nobre portuguesa.

Foto de uma rua estreita de Lisboa.

As ruas estreitas de Lisboa estão longe de serem sufocantes. Elas garantem um ar intimista e aconchegante para os visitantes. Foto: Wikimedia Commons

Praça do Comércio

Considerada o coração de Lisboa, a região da Baixa-Chiado é uma das mais agitadas, pelo menos durante o dia. Ali, a vida pulsa em torno de um comércio que oferece variedade e tem como atração suas fachadas em art déco. E a antessala para os visitantes desta parte da cidade é a Praça do Comércio, chamada também de Terreiro do Paço. Com 36 mil metros quadrados, fica às margens do rio Tejo e, além de um pequeno cais, é ladeada por edifício históricos, marcos da reconstrução planejada pelo Marquês de Pombal após o terremoto que arrasou a cidade em 1755. O mais impressionante é o que abriga o Arco Triunfal da rua Augusta. Antes de atravessar essa maravilha, faça uma parada no café-restaurante Martinho da Arcada, o mais antigo de Lisboa.

A Baixa

Depois de passar pelo Arco é só desfrutar as múltiplas possibilidades da Baixa, com seu comércio agitado, prédios do século XVIII de fachadas cobertas por azulejos e calçadas em mosaico. A rua Augusta é a via central dessa área e liga o Arco ao Rossio, talvez a praça mais movimentada de Lisboa. Sugestão: sente-se ao lado de fora de um café e observe os detalhes da vibrante vida local.

Foto do Arco Triunfal da Rua Augusta, em Lisboa.

O Arco Triunfal da Rua Augusta é outro importante monumento da cidade de Lisboa. Foto: Wikimedia Commons

Chiado

Conhecido também como o distrito de compras, o Chiado é, talvez, o bairro mais tradicional de Portugal e fica bem ao lado da Baixa. Ali, por trás de fachadas históricas escondem-se butiques, lojas chiques, ateliers, escolas e galerias de arte e teatros. Nos requintados cafés e restaurantes respira-se os mesmos ares que inspiraram Fernando Pessoa, Eça de Queirós e tantos outros poetas. Para os que saem de nosso país, o Café A Brasileira é atração quase irresistível. À noite, reserva boas surpresas, mas nada comparado ao que a vizinhança oferece.

Foto de uma rua de Lisboa.

Lisboa não é conhecida por ser um grande centro de compras, mas ainda assim, existem muitas possiblidades para os turistas. Foto: Wikimedia Commons.

Bairro Alto e o fado

A melhor opção para chegar a uma das áreas mais curiosas de Lisboa é usar o Elevador da Glória, que fica na belíssima Praça dos Restauradores. Apesar do nome, o elevador é uma espécie de bondinho que liga a Baixa ao Bairro Alto. Desembarque e vá ao Miradouro de São Pedro de Alcântara, de onde terá uma bela visão da cidade velha. Durante o dia, o bairro mantém características comuns ao centro antigo de Lisboa, mas a noite se transforma. O fado ecoa por todos os cantos e, com um quê de melancolia e muita poesia, a música portuguesa por excelência hipnotiza as plateias. Se você quiser algo mais moderno, não se preocupe, pois no Bairro Alto há música para todos os gostos.

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.