ESTILO DE VIDA

Leite materno: combate infecções e aumenta a imunidade

O leite materno pode deve ser exclusivo na alimentação do bebê até os 6 meses de vida, justamente por conferir inúmeras vantagens à saúde.

None
FOTO: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 04/08/2016 às 18:49
Atualizado às 21:02

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O leite materno proporciona diversos benefícios para o desenvolvimento infantil. Isso você já sabia! A novidade agora é que cientistas norte-americanos descobriram algo a mais: no leite materno existe uma rede de moléculas bioativas específicas, as quais ajudam a combater infecções e inflamações, amenizam dores, fortalecem a imunidade e abreviam o tempo de cicatrização de feridas.

Leite materno garante nutrientes que ajudam no desenvolvimento infantil

FOTO: Liquid Library Other Imagens

Os pesquisadores ainda procuraram por essas mesmas substâncias no leite de vaca e fórmulas preparadas, no entanto, não detectaram a presença dessas moléculas em ambos os casos.

De acordo com Charles Serhan, um dos autores da pesquisa, os resultados indicam que essas substâncias são admiráveis por controlar inflamações, infecções e estimular o desenvolvimento imunológico. Com isso, ao conhecer essas moléculas e a presença delas no leite materno humano, é possível que novos tratamentos para inflamações e infecções sejam desenvolvidos.

SAIBA MAIS:

Como resolver os problemas para amamentar

Amamentação: cuidados com o bebê

Aprenda a recuperar a boa forma após o parto

Leite materno é sinônimo de saúde

O leite da mãe é um alimento completo que garante o crescimento e desenvolvimento saudável, é de fácil digestão, diminui o risco de desenvolver diabetes, hipertensão, doenças do coração e obesidade na vida adulta, reduz a incidência e gravidade de diarreia, infecção respiratória, otite (inflamação no ouvido), colites e alergias e é essencial para o amadurecimento da função oral (fala e mastigação).

A recomendação é o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses e, a partir dessa idade, deve ocorrer a introdução de alimentos complementares, mantendo-se a amamentação até 18 ou 24 meses.

Texto: Jéssica Frabetti e Isabelle Hoffmann/Colaboradora