ESTILO DE VIDA

Lágrimas do bem!

Se engana quem pensa que chorar é ruim. Muito pelo contrário, também existem benefícios, tanto psicológicos, quanto fisiológicos. Confira!

None
Foto: Istock.com/Getty images

por Redação Alto Astral
Publicado em 24/10/2016 às 13:32
Atualizado às 20:54

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Expressar as emoções e os sentimentos gera sensação de alívio e bem-estar imediato. Chorar nem sempre é prejudicial ou sinal de que as coisas vão mal. Pelo contrário, as lágrimas podem dar sensação de liberdade. Confira!

mulher chorando

Foto: Istock.com/Getty images

Sensação de liberdade

São incontáveis as vezes que já choramos, e que ainda vamos chorar ao longo da vida! E os motivos, esses, são quase sempre os mesmos: dor física, tristeza profunda, alegria ou amor, pressão ou depressão, insegurança, medo ou raiva. Na opinião dos especialistas, chorar é uma reação, uma expressão saudável de sentimentos, que ajuda a aliviar a tensão, estando até provado que as mulheres choram mais que os homens. por motivos puramente fisiológicos. “O choro é a primeira manifestação de vida. Tem como funções específicas abrir os pulmões, escoar fluidos e desencadear o processo de sobrevivência fora do ventre materno”, explica a psicóloga Mariagrazia Marini.

Como funciona?

O choro pode ser uma necessidade gerada pelo organismo, mas nem sempre esse processo tem lugar. Fisicamente, perante determinados cenários, o cérebro produz certas substâncias, como a prolactina, que ativa a ação das glândulas lacrimais. A concentração de prolactina aumenta em situações de stress, diminuindo quando choramos, o que juntamente com a libertação de substâncias como a leucina-encefalina, a noradrenalina e a serotonina proporciona uma sensação de calma que alivia a ansiedade e liberta a tensão .

Diferenças

A diferença entre homens e mulheres está nos hormônios. Fatores culturais à parte, acredita-se que os homens choram menos que as mulheres porque elas possuem 50% de prolactina a mais que eles, pois este hormônio atua nas glândulas mamárias para a produção de leite materno. Contudo, assim como há quem chore “por tudo”, também há quem não chore. Não sendo isto um problema em si, pode, no entanto, sugerir um bloqueio a um sentimento ou ser um sinal de início de depressão.  Mariagrazia Marini explica: “quando a pessoa chora para não manifestar um sentimento, isso pode ser paralisador, ou seja, enquanto a pessoa chora não consegue resolver o problema. Isso pode ser prejudicial a nível psicológico por não haver descarga emocional. Porém, o ato de chorar ajuda a desabafar sentimentos internos reprimidos.

Leia também: 

Consultoria Mariagrazia Marini, psicóloga