ESTILO DE VIDA

O irmão mais velho é mais inteligente? Descubra!

Aquela história de o irmão mais velho ou o mais novo ter uma inteligência maior, pode ter ganhado um novo capítulo segundo uma pesquisa. Entenda!

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 30/11/2016 às 09:56
Atualizado às 15:23

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quem tem irmão, provavelmente, já ouviu alguma vez na vida, seja do primogênito ou do caçula, que era o mais bonito, o mais habilidoso em alguma brincadeira ou o mais inteligente. Mas aqui vai um pequeno crédito para o time dos irmãos mais velhos: segundo dados levantados por uma pesquisa, o irmão mais novo tende a apresentar um QI (quociente de inteligência) ligeiramente mais baixo.

cerebro-azul-brilhando-irmao

FOTO: Shutterstock.com

Provavelmente você nunca tenha ouvido falar de Francis Galton — mas, sim, do seu primo, o pai da evolucionismo, Charles Darwin. Seguidor devoto do familiar e influenciado pela sua teoria, Francis se interessou pelo estudo das aptidões humanas. No final do século 19, o antropólogo percebeu um fato curioso: muitos cientistas importantes da época eram os primogênitos de suas famílias. Suas pesquisas confirmaram a tese e mostraram que a maioria dos estudiosos famosos eram mesmo os filhos mais velhos.

Mas isso era uma característica de 1800 e bolinha, certo? Que nada! Em 2015, a Universidade de Leipzig, na Alemanha, mostrou que os filhos mais velhos têm uma diferença de 1,5 ponto a mais de QI em relação aos segundos filhos; esses, por sua vez, registram um QI com 1,5 ponto acima do terceiro, e assim por diante…O estudo, publicado na revista norte-americana PNAS, investigou 200 crianças de três países diferentes.

Mas, caso você seja o filho mais novo (de uma família de cinco — ou mais — crianças, talvez), não se desespere! Isso não é uma regra e, claramente, filhos mais novos também são capazes de realizar tarefas incríveis.

Também vale ressaltar que o teste de QI não é mais tão relevante quanto costumava ser, uma vez que as pessoas podem apresentar diferentes tipos de inteligências (corporal, musical, etc), como sugere a Teoria das Inteligências Múltiplas, desenvolvida pelo psicólogo dos Estados Unidos  Howard Gardner.

LEIA TAMBÉM

Texto: Augusto Biason/Colaborador – Edição: Giovane Rocha/Colaborador