Arriscar-se: entenda a importância de sair da zona de conforto

Arriscar-se não tem nada a ver com sentir-se seguro, estável, mas com enfrentar aquilo que nos tira o alicerce e procurar novos horizontes.

None
FOTO: Vinicius Tupinamba/Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 03/10/2016 às 15:34
Atualizado às 18:36

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Assim como as travas das pistas de boliche, que são erguidas para não ter chance alguma de errar os pinos, a zona de conforto causada pela sensação de estabilidade bloqueia a procura de novos horizontes e deixa as pessoas mal-acostumadas. Arriscar-se não tem nada a ver com sentir-se seguro, estável, mas com enfrentar aquilo que nos tira o alicerce.

arriscar-se esportes radicais

FOTO: Vinicius Tupinamba/Shutterstock

Arriscar-se proporciona o desenvolvimento humano. Somos potencialmente capazes e é somente agindo que concretizamos nosso desenvolvimento. Arriscar significa ‘testar’, somente assim que é possível saber das possibilidades e até onde podemos ir”, reflete o psicólogo e especialista em análise comportamental, Carlos Esteves. Com o mesmo pensamento de Carlos, a coach Paula Abreu compreende que o lado bom do risco é que ele sempre está atrelado a ampliar as possibilidades, porém, quando a pessoa se encontra na zona de conforto, é muito difícil enxergar outros caminhos e crescer, pois não há desafios. “O risco traz essa experiência do desconforto, mas também do crescimento”, finaliza.

LEIA TAMBÉM

Arriscar: saiba como vencer o medo e mudar de atitude

Medo causa alterações no organismo e reações do corpo

Qual o papel do medo nos dias de hoje?

Texto: Nathália Piccoli