Idade para engravidar? Descubra as chances de cada faixa etária!

A gravidez tardia é uma realidade cada vez mais comum, especialmente com o avanço das tecnologistas médicas. Contudo, a biologia deve constar no planejamento familiar, uma vez que há uma certa idade para engravidar ou, ainda, para congelar os óvulos. Confira!

None
(Foto: Reprodução/Pxhere)

por Redação Alto Astral
Publicado em 08/05/2018 às 22:00
Atualizado às 11:22

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O desejo de expandir a família está presente na realidade de muitos casais, outros, no entanto, protegem-se e determinam uma idade para engravidar de acordo com seus próprios planos futuros. Apensar de questões sociais (casar ou se formar na faculdade) e econômicas (emprego fixo, por exemplo) estarem na mente de quem faz o planejamento familiar, a biologia também deve ser levada em consideração, uma vez que, ao envelhecer, o corpo começa a dificultar a gravidez.

Idade para engravidar

A partir da puberdade, os homens não param mais de produzir espermatozoides até o fim da vida. Ao contrario deles, as mulheres têm idade para engravidar. Este período vai da primeira menstruação até a menopausa. Assim, “a idade da mulher deve ser considerada quando se decide calcular as possibilidades de gravidez de um casal, já que afeta tanto a quantidade quanto a qualidade dos óvulos”, alerta Renato de Oliveira, ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis. Entenda quais são as melhores idades para engravidar de acordo com características biológicas:

Gravidez tardia

Com o avanço das tecnologias médicas, surgiu a possibilidade de adiar a chegada do bebê. Técnicas de reprodução assistida – meios de fertilização sem a necessidade da relação sexual – são os mais procurados para quem deseja expandir a família tardiamente. Uma possibilidade são os congelamentos de óvulos para serem usados quando a mulher estiver pronta para ter um filho. No entanto, Renato alerta sobre o cuidado de congelar as células ainda quando jovem, para preservar a qualidade do gameta.

LEIA TAMBÉM

Texto: Camila Ramos/Colaboradora

Consultoria: Renato de Oliveira, ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis.