ESTILO DE VIDA

Hipnose no tratamento da depressão? Sim! Entenda como funciona!

Os mais diversos tipos de tratamento aparecem como alternativa na hora de lidar com dilemas mentais, como a depressão. Um deles é a hipnose. Confira!

None
Foto: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 20/09/2016 às 20:08
Atualizado às 20:57

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O funcionamento da mente humana é um mistério que parece ser inesgotável para a ciência. Por mais que inúmeros estudos se esforcem para entender seus complexos mecanismos, continuamente aparece algo a mais para ser desvendado. Da mesma forma, os mais diversos tipos de tratamento aparecem como alternativa na hora de lidar com dilemas mentais, como a depressão. Um deles é a hipnose. Confira!

relógio de hipnose

Foto iStock.com/Getty Images

Sonho real

Essa hipnose é diferente daquelas que, geralmente, ocorrem em TV, em que o hipnotizado é comandado para imitar animais ou coisas do tipo. Esse diferente estado de consciência, chamado de transe, assemelha-se a um sonho acordado. No entanto, há uma diferença essencial: “alguns mecanismos são parecidos, várias áreas do cérebro são estimuladas durante o transe, assim como no sonho. A diferença fica por conta da condução. No transe hipnótico, existe um conjunto de informações que são dirigidas de forma estratégica. Assim, as mudanças necessárias acontecem. Podemos dizer que no sonho existe uma passividade no processo por parte do indivíduo, enquanto na hipnose o mesmo indivíduo é ativo”, esclarece Odair Comin, psicólogo especializado em hipnoterapia.

Como funciona?

“A depressão é uma forma específica de pensar, baseado em premissas pessimistas. Com o tempo, tal estado ganha força, se instaura como se fizesse parte da personalidade do indivíduo. A hipnose entra como uma solução para modificar sua forma de pensar. Um jeito novo de encarar seu presente e seu futuro. Recobrar sua lucidez frente ao real. Pensar e sentir de forma diferente”, afirma Odair. Sendo assim, a hipnoterapia se utiliza do estado de transe, em que o paciente deixa de lado sua resistência mental pré-programada, para introduzir, de forma suave, um novo padrão. “A hipnose é comunicação e, na medida em que se tem um conteúdo estratégico para comunicar, a hipnose é o instrumento que viabiliza essa condução de forma eficiente”, completa o especialista.

Leia também:

Sem truques

Como as outras técnicas, a hipnoterapia não é milagrosa. Não se trata de ir a uma sessão, ser hipnotizado e, em um passe de mágica, sair dali uma pessoa completamente nova. Assim como na terapia convencional, o objetivo é dar um novo significado para a própria vida. Ambas podem ser vistas como complementares no processo de cura. Encontrar a raiz dos problemas psicológicos não é o foco principal do processo — afinal, muitos depressivos não negam seus sentimentos, só não conseguem administrá-los. Disposição em mudar é fundamental.

Consultoria Odair Comin, psicólogo