Saiba a diferença entre hipertireoidismo e o hipotireoidismo

Quando os hormônios estão desregulados, a tireoide pode apresentar duas principais doenças: o hipertireoidismo e o hipotireoidismo

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 08/11/2016 às 13:21
Atualizado às 11:57

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quando há um desequilíbrio na glândula da tireoide existem duas doenças mais comuns e que necessitam de cuidados. Conheça melhor o hipertireoidismo e o hipotireoidismo.

pessoa com a mão na glândula tireoide

FOTO: Istock

Hipertireoidismo

Como já sugere o nome, acontece quando existe o aumento da secreção dos hormônios da tireoide, que passa a trabalhar em ritmo mais acelerado do que o normal. Dependendo do grau de intensidade, a doença pode se instalar de forma silenciosa, sem despertar um mal estar específico ou, ainda, gerando sintomas que dificultam sua identificação.

Sintomas

Alguns dos sintomas mais comuns são: irritabilidade, agitação, instabilidade emocional, intolerância ao calor, sudorese, tremores, palpitações, fadiga, perda de peso (apesar do aumento do apetite), diarreia, diminuição da libido, alterações menstruais e fraqueza muscular. Em grau avançado ainda podem ocorrer taquicardia, insuficiência cardíaca e arritmia. Assim como os sinais que denunciam sua presença, as causas do hipertireoidismo também são variadas. No entanto, comumente ocorre quando a presença de anticorpos que estimulam a tireoide agem de forma independente devido a tumores ou nódulos e até mesmo mutações genéticas. Isso tudo faz com que a glândula produza hormônios em excesso.

Hipotireoidismo

Iodo demais no organismo também pode desencadear essa reação. Na contramão de toda a “agitação” que a tireoide adquire com o hipertireoidismo, vem o chamado hipotireoidismo, que ocorre quando o órgão passa a funcionar de maneira mais lenta, produzindo e enviando menos hormônios. Esse é o distúrbio mais comum da tireoide.

Causas

Há várias causas entre elas: quando o organismo passa por alterações autoimunes existe uma maior incidência de anticorpos inibidores e não estimuladores da tireoide. Idade superior a 40 anos, sexo feminino, obesidade, cirurgia de retirada de toda ou de parte da glândula, além de exposição prolongada à radiação são fatores de risco. No entanto, as causas do problema compõem um quadro mais expansivo.

O hipotireoidismo pode ocorrer por um defeito em qualquer etapa da síntese hormonal. Além da causa transitória, outro motivo é quando a mãe usou drogas antitireoidianas na gestação ou possui anticorpos positivos. Existe ainda a causa adquirida, que é a deficiência na ingestão de iodo.

Os sinais de que o distúrbio se instalou no organismo são discretos – motivo que, inclusive, atrasa o seu diagnóstico na maioria das vezes. Como os principais sintomas são cansaço e desânimo, muita gente acredita que a doença é consequência do estresse do dia a dia. Deve-se redobrar a atenção quando se sente fadiga, dificuldade de concentração, depressão, dor nas articulações, cãimbras, déficit de memória, queda de cabelo, ganho de peso (mesmo com diminuição do apetite), distúrbios menstruais, pele seca, constipação e voz rouca se tornarem frequentes.

LEIA TAMBÉM:

Redação Alto Astral

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.