Hiperêmese Gravídica: entenda a doença de Kate Middleton

Esposa de Príncipe William está grávida novamente e apresenta a mesma complicação da primeira gestação

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 15/09/2014 às 12:24
Atualizado às 21:04

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Há alguns dias atrás, Príncipe William e Kate Middleton anunciaram que mais um bebê chegará à família real nos próximos meses. Assim como na gravidez do primeiro filho do casal, George, Kate está sofrendo de uma complicação chamada hiperêmese gravídica. Para entender mais sobre o assunto, conversamos com o ginecologista Jurandir Passos, que explica tudo sobre a doença que atinge Kate Middleton. Confira!

Entenda a doença de Kate Middleton

Foto: Divulgação

O que é?

Cerca de 75% das gestantes queixam-se da sensação de náusea e vômitos durante a gravidez. Esses sintomas, quando aparecem de forma leve e eventual, recebe o nome de êmese gravídica e é completamente normal. “Já a hiperêmese gravídica caracteriza-se por um quadro exacerbado de náuseas e vômitos que pode levar, nos casos mais graves, à desidratação e a desnutrição da gestante” explica ao doutor. Ainda segundo ele, essa complicação é bastante rara e atinge apenas entre 0,8 a 2% das gestantes.

Por que acontece?

Não se sabe porque algumas mulheres apresentem sintomas leves e outras chegam a desenvolver a hiperêmese gravídica. Porém, existem teorias que afirmam que o problema é de causa genética e que o nível do hormônio HCG produzido pela placenta está diretamente ligado à incidência desse quadro. “Gestantes jovens, obesas ou com histórico de problemas gástricos estão mais propensas a desenvolver a doença.

Como prevenir?

De acordo com o ginecologista, não há como prevenir a hiperêmese gravídica. “Se a paciente não receber os devidos cuidados e desenvolver quadros de desidratação e/ou desnutrição graves, pode correr risco de vida”, explica o Dr. Jurandir. Por esse motivo, é de extrema importância que a gestante procure orientação médica assim que perceber a existência dos sintomas.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.