Você sabia que os hábitos podem ser transformados ou substituídos?

Como são comportamentos adquiridos, os hábitos podem ser transformados ou substituídos. Entenda como funciona esse mecanismo psicológico.

None
Foto: bedneyimages/Freepik

por Redação Alto Astral
Publicado em 24/03/2017 às 12:27
Atualizado às 14:53

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Como os hábitos são comportamentos adquiridos, eles podem ser alterados ou substituídos. “O primeiro passo é a observação. Se você tende a acumular muitas tarefas importantes e a sensação é a de esgotamento, pois não consegue dar conta da quantidade de coisas a realizar, descubra qual o contexto em que este comportamento torna-se recorrente”, salienta a especialista em desenvolvimento pessoal Taty Nascimento. A partir disso, é fundamental descobrir como iniciar o novo hábito.

O caminho mais fácil é justamente escolher algo simples e do qual gostamos. Um exemplo clássico é a tentativa de emagrecer. Muita gente opta por se matricular em uma academia a fim de fazer exercícios físicos, mas ignoram maneiras mais “agradáveis” – uma atividade mais dinâmica, como a dança, ou ao ar livre (a caminhada, por exemplo). Para se tornar um hábito, a nova atividade deve se repetir ao longo de um tempo.

mão segurando um cigarro branco aceso

Foto: bedneyimages/Freepik

Por isso, faça com que isso realmente aconteça. Dentro do mesmo exemplo, marque em uma agenda os dias da semana em que você deve praticar exercícios físicos e faça deles um compromisso inadiável. Mais do que mudar os dias, é imprescindível condicionar a mente. É o tempo necessário para transformar uma nova atividade em algo automático em nosso dia a dia – de modo que não precisemos mais da nossa força de vontade.

Quem chegou a essa conclusão foi Jane Wardle, professora de psicologia clínica da University College de Londres, em um estudo conduzido junto a Phillippa Lally, doutora pela mesma instituição, e publicado no European Journal of Social Psychology em 2009. Esse período é justificado por conta do processo pelo qual adquirimos o hábito: executar uma ação pela primeira vez requer planejamento e atenção.

“Como os comportamentos são repetidos em configurações consistentes, eles começam então a proceder de forma mais eficiente e com menos pensamento, de forma que o controle do comportamento se transfere por meio de pistas no ambiente que ativam uma resposta automática – um hábito”, descreve o artigo.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Edição: Angelo Matilha Cherubini

Consultorias: Alessandra Fonseca, coach e sócia-proprietária da ConsultaRH; Taty Nascimento, especialista em desenvolvimento pessoal, criadora do canal Vida com Método

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.