ESTILO DE VIDA

Você sabia que os hábitos podem ser transformados ou substituídos?

Como são comportamentos adquiridos, os hábitos podem ser transformados ou substituídos. Entenda como funciona esse mecanismo psicológico.

None
Foto: bedneyimages/Freepik

por Redação Alto Astral
Publicado em 24/03/2017 às 12:27
Atualizado às 14:53

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Como os hábitos são comportamentos adquiridos, eles podem ser alterados ou substituídos. “O primeiro passo é a observação. Se você tende a acumular muitas tarefas importantes e a sensação é a de esgotamento, pois não consegue dar conta da quantidade de coisas a realizar, descubra qual o contexto em que este comportamento torna-se recorrente”, salienta a especialista em desenvolvimento pessoal Taty Nascimento. A partir disso, é fundamental descobrir como iniciar o novo hábito.

O caminho mais fácil é justamente escolher algo simples e do qual gostamos. Um exemplo clássico é a tentativa de emagrecer. Muita gente opta por se matricular em uma academia a fim de fazer exercícios físicos, mas ignoram maneiras mais “agradáveis” – uma atividade mais dinâmica, como a dança, ou ao ar livre (a caminhada, por exemplo). Para se tornar um hábito, a nova atividade deve se repetir ao longo de um tempo.

mão segurando um cigarro branco aceso

Foto: bedneyimages/Freepik

Por isso, faça com que isso realmente aconteça. Dentro do mesmo exemplo, marque em uma agenda os dias da semana em que você deve praticar exercícios físicos e faça deles um compromisso inadiável. Mais do que mudar os dias, é imprescindível condicionar a mente. É o tempo necessário para transformar uma nova atividade em algo automático em nosso dia a dia – de modo que não precisemos mais da nossa força de vontade.

Quem chegou a essa conclusão foi Jane Wardle, professora de psicologia clínica da University College de Londres, em um estudo conduzido junto a Phillippa Lally, doutora pela mesma instituição, e publicado no European Journal of Social Psychology em 2009. Esse período é justificado por conta do processo pelo qual adquirimos o hábito: executar uma ação pela primeira vez requer planejamento e atenção.

“Como os comportamentos são repetidos em configurações consistentes, eles começam então a proceder de forma mais eficiente e com menos pensamento, de forma que o controle do comportamento se transfere por meio de pistas no ambiente que ativam uma resposta automática – um hábito”, descreve o artigo.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Edição: Angelo Matilha Cherubini

Consultorias: Alessandra Fonseca, coach e sócia-proprietária da ConsultaRH; Taty Nascimento, especialista em desenvolvimento pessoal, criadora do canal Vida com Método