Genética: os filhos herdam habilidades dos pais?

Seu filho ou filha age como você? Ou você enxerga em si qualidades semelhantes às dos pais? Entenda até que ponto a genética influencia nisso

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 29/09/2016 às 16:31
Atualizado às 11:40

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Você já reparou se tem alguma habilidade parecida com a de seus pais? Seu filho ou sua filha fazem a mesma coisa que você, e isso impressiona? Às vezes, observamos como temos características similares, por exemplo, o poder de liderança, o dom de tocar algum instrumento musical, capacidade de se comunicar bem e ter boa desenvoltura em público. Até que ponto a genética tem a ver com filhos herdando as habilidades dos pais?

Genética: até que ponto os filhos herdam habilidades dos pais

FOTO: Shutterstock.com

Genética e herança de habilidades: até que ponto?

Mesmo não havendo a certeza de que o talento de um pai seja repassado diretamente ao seu filho(a), existem diversos casos que podem exemplificar esse tipo de herança, como o cantor sertanejo Xororó e seus descendentes Sandy e Junior. O ex-jogador e atual treinador da seleção brasileira masculina de vôlei, Bernardinho, e o levantador da amarelinha, Bruno. Outro exemplo é de George H. W. Bush (41º presidente dos Estados Unidos) e seu filho, George W. Bush (43º presidente norte-americano).

Será isso uma tendência genética? O que explicaria, então, os filhos de grandes ícones mundiais que não desenvolveram um papel tão importante quanto o de seus pais? Gilda Paoliello, professora do curso de pós–graduação em Psiquiatria do Instituto de Pesquisas Médicas (IPEMED), explica que nem sempre há a certeza da transmissão dessas capacidades, mas que existe uma aptidão a ser aprimorada. “O que se herda é a capacidade de ter talento e não o talento em si, pois as potencialidades necessitam interagir com o ambiente para se desenvolverem”, relata a profissional.

Nesse campo de possibilidades, alguns estudos desvendaram os atributos que são herdados com mais frequência. “Os mais recorrentes são o raciocínio verbal, relacionado ao talento para a escrita; o raciocínio numérico, associado às equações, números e lógica; e o espacial, talento para se enxergar em um bloco de pedra uma forma especial”, descreve.

Para desenvolver essas habilidades, é necessário que a pessoa se envolva no processo de aperfeiçoamento e, segundo Gilda, transforme a “sua folha em branco em texto, a pedra em escultura e o som em melodia”.

LEIA TAMBÉM:

Texto: Vitor Manfio/Colaborador – Edição: Victor Santos
Consultorias: Gilda Paoliello, professora do curso de pós-graduação em Psiquiatria do Instituto de Pesquisas Médicas (IPEMED) e da Residência de Psiquiatria do IPSEMG – Psiquiatra e Psicanalista, em Belo Horizonte (MG); Silvana Nunes Garcia Bormio, professora do curso de psicologia da Universidade Sagrado Coração (USC), em Bauru (SP).

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.