Farinhas funcionais: confira um top 5 que vai te ajudar combater o colesterol

Aposte nas farinhas funcionais para manter o colesterol controlado. A vantagem é que elas podem ser ser adicionadas, por exemplo, em iogurtes e saladas.

None
Foto Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 19/09/2016 às 20:55
Atualizado às 11:36

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Para reduzir o colesterol e, de quebra tornar o dia a dia muito mais saudável, aposte nas opções a seguir! Podendo ser adicionadas em iogurtes, sopas, saladas, pratos quentes e com frutas, as farinhas também são grandes aliadas de quem deseja emagrecer.

Banana verde e farinha

Foto Shutterstock.com

1- FARINHA DE BANANA VERDE

Encontrada nas prateleiras de lojas de produtos naturais, a farinha da banana verde é uma opção para garantir os nutrientes da fruta. “Ela ajuda na integridade da mucosa do intestino, que é responsável pela absorção adequada dos nutrientes, mantendo o metabolismo do corpo acelerado”, completa a nutricionista Eliane Petean Arena.

2- FARINHA DE BERINJELA

Graças à boa quantidade de fibras, o alimento ajuda a aumentar a sensação de saciedade e impede que o organismo absorva gorduras. “Além de fibras, esse ingrediente contém antocianina, que combate a ação dos radicais livres”, acrescenta a nutricionista Fernanda Granja.

3- FARINHA DE LINHAÇA

Um trunfo da farinha é a presença de ômega-3, um ácido graxo que tem como função controlar as taxas de colesterol, a pressão arterial e reduzir o acúmulo de gordura abdominal.

Sementes de linhaça e oléo de linhaça

Foto Istock.com/Getty Images

4- FARINHA DE MARACUJÁ

“A farinha de maracujá é rica em pectina, uma fração de fibra solúvel encontrada na parte branca da casca da fruta que possui a capacidade de reter água, formando géis viscosos que retardam o esvaziamento gástrico e melhoram o trânsito intestinal, de modo a eliminar parte da gordura e açúcares consumidos na refeição.

5- FARINHA DE FEIJÃO-BRANCO

A vantagem dessa versão está na presença de uma proteína chamada faseolamina, que inibe a absorção de cerca de 20% dos carboidratos ingeridos juntos com ela – o que colabora para a diminuição das calorias e, consequentemente, do colesterol. Outro ponto positivo da farinha é que ela não contém glúten e é rica em fibras, o que auxilia na sensação de saciedade prolongada, além do bom funcionamento intestinal.

Leia também:

Consultoria Fernanda Granja, nutricionista; Eliane Petean Arena, nutricionista

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.