ESTILO DE VIDA

Os melhores exercícios físicos para cada necessidade

Os exercícios físicos são aliados da saúde, pois afastam a obesidade e ainda combatem doenças como diabetes, asma e fibromialgia.

None
FOTO: iStock e Getty Image

por Redação Alto Astral
Publicado em 02/09/2016 às 18:11
Atualizado às 20:58

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Asma, diabetes, fibromialgia, problemas cardíacos… Seja qual for a doença, é essencial praticar exercícios físicos para deixar o corpo mais disposto a cada dia. Chegou a hora de deixar a preguiça de lado e conhecer as atividades mais indicadas para cada tipo de necessidade. E não esqueça: antes de começar, uma avaliação médica é fundamental.

Os exercícios físicos podem prevenir doenças

FOTO: iStock e Getty Images

Problemas cardíacos

O que é: podem englobar as mais diferentes doenças, desde pressão alta até infarto e colesterol alterado.

Exercícios indicados: a cardiologista Viviane Cordeiro Veiga aconselha: “Caminhada, natação, hidroginástica e corrida podem fazer parte do tratamento médico na fase denominada reabilitação, sendo utilizada em pacientes que já tiveram enfarte agudo do miocárdio”. Inicialmente, ela explica que se opta por exercícios de baixa intensidade, que vão aumentando gradativamente, de acordo com as condições clínicas de cada paciente. Para os hipertensos, são indicados exercícios aeróbicos de moderada a baixa intensidade.

Benefícios: controla a hipertensão arterial, “mas o efeito ideal é normalmente alcançado com terapia farmacológica”, adverte a professora de educação física Diana Primo. Ela explica que os exercícios contribuem indiretamente para o controle da pressão alta com a redução de peso, mas isso em pacientes ainda não foi muito estudado.

SAIBA MAIS:

5 aplicativos para monitorar suas atividades físicas

5 mitos e verdades sobre as atividades físicas

Saiba quais são os melhores exercícios para cada idade

Fibromialgia

O que é: é uma doença crônica, que causa fadiga e dores nos músculos, ligamentos e tendões.

Exercícios indicados: alongamentos e hidroginástica (em água morna) e outros exercícios de baixo impacto, como caminhada e bicicleta. Os exercícios em grupo são ótimos e a quantidade é bem particular de pessoa para pessoa. No início da prática, os sintomas podem piorar, mas a persistência vai melhorando o quadro”, explica Diana.

Benefícios: ajuda na diminuição da dor, melhora o sono, reduz a fadiga, favorece a autoestima e as atividades cotidianas.

Diabetes

O que é: a sua principal característica é a insuficiência de produção de insulina pelo pâncreas, causando intolerância à glicose.

Exercícios indicados: musculação, artes marciais, hidroginástica e esportes recreacionais. A medição da glicose deve ser feita antes e após os exercícios e, em alguns casos, durante. A alimentação deve ser ministrada da mesma forma a fim de não faltar ou exceder no nível de glicose, ou seja, deve evitar-se exercícios junto do pico de insulina.

Benefícios: controle do açúcar no sangue do diabético tipo II, melhora da sensibilidade da glicose, reduzindo a necessidade de insulina do tipo I, e emagrecimento (que favorece o controle da insulina).

Correr ou caminhar pode ajudar na manutenção da saúde

FOTO: Shutterstock

Asma

O que é: considerada uma doença grave, é uma síndrome caracterizada pela obstrução do fluxo de ar pela grande receptividade dos brônquios a alergias e estímulos ambientais. “Os seus sintomas variam de tosse excessiva durante e após os exercícios, redução da respiração e muita tensão no peito”, explica a professora de educação física.

Exercícios indicados: os aeróbicos de intensidade moderada, como natação, caminhadas, hidroginástica e ciclismo.

Benefícios: recondicionamento cardiovascular, redução da dispneia (diminuição da respiração), melhora da ventilação e da resistência muscular e aumento da flexibilidade. Pode haver dificuldades de respiração no início do exercício, mas a capacidade cardiorrespiratória vai aumentando.

Texto Carolina Brito/Colaboradora

Consultoria Diana Primo, professora de educação física; Viviane Cordeiro Veiga, cardiologista